sicnot

Perfil

País

Técnicos de ambulância de emergência mantêm greve às horas extraordinárias

O Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência (STAE) mantém a greve às horas extraordinárias a partir das 00:00 de quarta-feira, por considerar que "não houve desenvolvimentos concretos da melhoria das condições de trabalho dos trabalhadores".

Tiago Petinga/Lusa

Pedro Moreira, da direção do STAE, avançou à agência Lusa esta decisão que surgiu no final de um plenário de trabalhadores.

No passado dia 08, a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) emitiu um aviso prévio de greve ao trabalho extraordinário para os trabalhadores do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a partir das 00.00 horas" de quarta-feira.

Segundo Pedro Moreira, desde a reunião com o secretário de Estado e Adjunto da Saúde, Fernando Leal da Costa, a 07 de junho, "não se registaram desenvolvimentos positivos".

"Muito pelo contrário, houve um retrocesso em relação à proposta da carreira de técnico de emergência", adiantou.

De acordo com este dirigente sindical, a recusa destes trabalhadores ao trabalho extraordinário deverá ter "um forte impacto", tendo em conta o agravar da situação destes trabalhadores.

Em relação ao facto do INEM ter garantido que a assistência não foi prejudicada pela recusa às horas extraordinárias que se registou desde o início do mês, Pedro Moreira afirmou: "É fácil dizer que não tem muito impacto, fechando meios".

A greve que começa às 00:00 de quarta-feira é "por tempo indeterminado".


Lusa
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão