sicnot

Perfil

País

Oficiais da PSP admitem manifestar-se pela primeira vez

O Sindicato Nacional dos Oficiais da Polícia (SNOP) admite vir a marcar uma manifestação de oficiais contra o novo Estatuto profissional da PSP. A assembleia-geral autorizou o sindicato a desenvolver todas as medidas de protesto que entender necessárias, caso o Ministério da Administração Interna não ceda às pretensões dos polícias.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

"Foi aprovada a ideia e foi mandatada a direção do sindicato para assumir todas as formas de luta que entenda que deve assumir se não houver uma mudança de atitude por parte do ministério [da Administração Interna], inclusivamente, a própria possibilidade de uma manifestação que seria inédita ao nível dos oficiais", afirmou o presidente do SNOP, Henrique Figueiredo.

A reunião magna do sindicato realizou-se em Lisboa e teve "a maior participação dos últimos anos", tendo demorado cerca de cinco horas.

"Nenhuma medida deve ser colocada de parte nestas situações. Obviamente que os oficiais são um número reduzido, representam uma percentagem muito reduzida do efetivo da polícia, mas não temos dúvidas de que, pela função que desempenham e pela consideração que reúnem junto do seu efetivo enquanto comandantes e líderes, caso os oficiais decidam partir para a manifestação, certamente que muitos polícias também estarão disponíveis para partir para a luta", salientou o dirigente sindical.

E reforçou: "Não é preciso ser um sindicato muito representativo para se conseguir fazer uma grande manifestação".

Além desta possibilidade, que está em aberto, a AG de hoje definiu que o SNOP "se deve manter na negociação do estatuto profissional" da Polícia de Segurança Pública (PSP), revelou Henrique Figueiredo.

Depois de criticar a decisão da ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, de ter deixado de fora das negociações os oficiais da PSP, designadamente o sindicato e a direção nacional, o responsável disse que uma das exigências para que o SNOP continue nesta negociação é que haja um mediador entre as partes.

De resto, foi aprovada na reunião magna a realização de um jantar a 02 de julho, dia da polícia, sendo que, caso até essa data não se registem desenvolvimentos positivos para as pretensões do SNOP, esta estrutura sindical vai apresentar publicamente um manifesto onde dá conta de todos os detalhes do processo de alteração dos estatutos profissionais da PSP.

Henrique Figueiredo afirmou à Lusa que o SNOP já apresentou uma providência cautelar para impedir a entrada em vigor do estatuto profissional, uma vez que este "não serve os polícias, nem a polícia". 

Os oficiais da PSP contestam a proposta da tutela no que toca à gestão dos recursos humanos e à forma como a instituição está a ser projetada para os próximos anos, refutando também a proposta da tabela salarial e de progressão de carreira dos oficiais da PSP que foram formados no instituto.

O processo negocial sobre o futuro estatuto profissional da PSP entre sindicatos e o MAI já terminou, tendo a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) e o Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP) assinado um memorando de entendimento no final das negociações.

Paralelamente, na AG de hoje, foi aprovado por unanimidade um voto de indignação, revolta e repúdio pelas agressões que sofreu um agente da PSP na madrugada de 26 de junho na Moita, na sequência de uma desordem pública nas Festas do Vale da Amoreira.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal, o polícia terá sido ferido com uma arma branca (uma faca ou uma navalha) e foi transportado para o hospital do Barreiro em estado grave.


Com Lusa
  • Manuel Pinho suspeito de quatro offshores e pelo menos 1M€ em luvas do GES
    1:31
  • Fim de semana de chuva, trovoada e granizo
    0:50

    País

    O mau tempo está de regresso este fim de semana, sobretudo no sul do continente e na Madeira. Esta manhã, Faro acordou com uma chuva intensa de granizo, com quedas de árvores e pequenas inundações.

  • As imagens do granizo que caiu no Algarve
    0:47

    País

    Faro acordou hoje com uma intensa queda de granizo. Pedras de gelo, com cerca de meio centímetro de diâmetro, em especial entre as 06:30 e as 07:00 da manhã. Segundo o IPMA tratou-se de "uma linha de instabilidade" que foi subindo a norte, para os distritos de Beja e Setúbal, mas com menos intensidade" e que provocaram inundações pontuais na via publica e em garagens e algumas quedas de árvore.

  • Alunos trocam aulas pelas ruas contra armas nos EUA
    2:43
  • Rainha Isabel II faz hoje 92 anos
    2:36
  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59