sicnot

Perfil

País

Acidentes de mergulho são quarta causa de lesão da medula, que pode ser irreversível

Os acidentes de mergulho são a quarta causa de lesão da medula, que pode ser irreversível, com os jovens entre os 15 e 30 anos a representarem a grande maioria das pessoas que sofrem estes acidentes.

© Ahmed Saad / Reuters

Segundo dados da recém-criada associação portuguesa 'Spine Matters', que visa promover a temática das doenças de coluna, a maioria dos acidentes com mergulhos acontece em locais onde a profundidade é inferior a 1,5 metros.

Verificar as condições do espaço e a sua profundidade são essenciais para evitar problemas ao mergulhar, refere o cirurgião ortopédico Luís Teixeira, presidente da 'Spine Matters', recordando que na grande maioria dos casos a vítima de um acidente de mergulho desconhecia ou o local do acidente ou conhecia-o mal.

Dados da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) relativos aos últimos cinco anos em Portugal indicam que 96% dos acidentes com mergulhos ocorrem entre maio e setembro, com incidência mais forte no sexo masculino e mais de metade envolve pessoas com menos de 30 anos.

Este ano, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia lançaram novamente a campanha "Mergulho Seguro", com o objetivo de sensibilizar a população mais jovem para a prevenção de traumatismos vertebro medulares provocados por acidentes com mergulhos.

A campanha existe desde 2013 e, segundo os dados recolhidos pelos promotores da iniciativa, parece estar a ter reflexos na diminuição de acidentes. Em 2012, eram 52,4% os acidentes que atingiam a faixa etária dos 11 aos 20 anos, número que caiu para 32% em 2013 e para 17,6% no ano passado.

A campanha visa sobretudo alertar para os efeitos permanentes das lesões decorrentes de mergulhos mal calculados, sublinhando precisamente a importância de conhecer o local e perceber a sua profundidade.

De acordo com a associação 'Spine Matters', quando a velocidade do impacto é superior a três metros por segundo é suficiente para causar lesões cervicais irreversíveis.

As lesões em mergulho ocorrem geralmente quando a cabeça bate no solo, já que após o impacto o pescoço recebe o peso do corpo, podendo resultar em trauma da medula espinhal.

A pior consequência é a paralisação e a impossibilidade de mexer os membros. Conforme o grau da lesão da medula, o mergulhador pode ficar tetraplégico ou paralisado das pernas.

Lusa

  • Cinco mil trabalhadores da PT manifestaram-se em Lisboa
    3:55

    Economia

    Perto de cinco mil trabalhadores da PT manifestaram-se esta sexta-feira, em Lisboa. Os números são avançados pelos sindicatos. Os trabalhadores contestam a transferência de funcionários para empresas parceiras da Altice e outras empresas do grupo, sem as mesmas garantias e direitos. A Altice garante que as transferências são legais mas alguns funcionários já levaram o caso a tribunal.

  • Uma viagem aérea pela Lagoa Negra
    1:02
  • Videovigilância regista impacto de sismo na Grécia

    Mundo

    Um sismo de magnitude 6.7 atingiu na quinta-feira o mar Egeu e causou pelo menos dois mortos e mais de 200 feridos. O momento e o impacto causado pelo abalo foram registados através de uma câmara de videovigilância de um café, na ilha grega de Kos, um dos locais mais afetados.

  • A sátira a Sean Spicer no Saturday Night Live
    1:36

    Mundo

    O estilo de Sean Spicer foi controverso desde o início. A relação conflituosa do ex-assessor da Casa Branca com os jornalistas foi muitas vezes satirizada na comunicação social. Um exemplo é um momento do Saturday Night Live, protagonizado pela atriz Meliissa McCarthy.

  • Músico indiano toca guitarra durante cirurgia ao cérebro

    Mundo

    Abhishek Prasad foi submetido a uma cirurgia ao cérebro esta quinta-feira, num hospital na cidade indiana de Bangalore, após anos e anos a sofrer de dolorosos espasmos nas mãos. O insólito do caso foi que o músico indiano teve de tocar guitarra para ajudar os médicos durante a intervenção cirúrgica.