sicnot

Perfil

País

Número de alunos do secundário em cursos vocacionais pode triplicar em 2015-2016

O Ministério da Educação e Ciência (MEC) admitiu hoje que o número de alunos no ensino secundário, inscritos em cursos vocacionais, pode triplicar no próximo ano letivo

"No próximo ano, atendendo à forte adesão das escolas e das empresas prevê-se que esta oferta no ensino secundário triplique em relação ao número registado de cursos em 2014-2015", lê-se num comunicado do MEC hoje divulgado, a propósito da assinatura de um protocolo na quarta-feira, com a EDP, para o reforço de um curso vocacional no ensino secundário de técnico de redes elétricas.

No comunicado, a tutela recorda que os cursos vocacionais foram lançados em 2012-2013, no ensino básico, tendo apenas chegado esta oferta formativa ao ensino secundário no ano letivo seguinte. O arranque, em ambos os casos, decorreu no âmbito de projetos-piloto.

Os dados hoje adiantados referem que, entre o ensino básico e o ensino secundário, frequentaram os cursos vocacionais em 2014 mais de 27 mil alunos.

No entanto, dados de maio, referiam apenas 24 mil alunos, distribuídos por 1.170 turmas, e o envolvimento de cinco mil empresas, necessárias para o conceito deste tipo de ensino, que implica que uma parte da formação decorra em contexto de trabalho.

O curso vocacional de técnico de redes elétricas, implementado na escola secundária António Damásio, em Lisboa, volta a abrir turmas no próximo ano letivo, e vai chegar também às escolas secundárias São Pedro, em Vila Real, e Dr. Francisco Fernandes Lopes, em Olhão.

"Pretende-se agora criar condições para que aquela experiência possa ser estendida a mais alunos e a mais escolas, em zonas do país onde são necessários estes técnicos qualificados" refere o comunicado do MEC.

No âmbito do protocolo assinado na quarta-feira, a empresa de distribuição de energia compromete-se "de acordo com as suas necessidades, a colaborar na articulação das componentes dos cursos vocacionais e na oferta de estágios formativos aos alunos" e o Ministério da Educação "a promover a divulgação dos cursos vocacionais enquadrados naquele âmbito e a promover a abertura de turmas, em função da procura que se venha a verificar para a frequência desses mesmos cursos".

O protocolo é assinado quarta-feira, pelas 18:00, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa, pelo ministro da Educação, Nuno Crato, e pelo presidente do conselho de administração executivo da EDP, António Mexia.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    Um sismo abalou esta manhã o centro de Itália, incluindo a capital, Roma, e outras localidades atingidas por uma série de tremores o ano passado. De acordo com a Reuters, o sismo teve uma magnitude de 5.7.

    Em desenvolvimento

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".