sicnot

Perfil

País

Professores contratados podem concorrer à Bolsa de Escola até 27 de julho

As candidaturas à Bolsa de Contratação de Escola (BCE) abriram hoje e os professores contratados podem, até às 18:00 de dia 27 de julho, candidatar-se a um lugar nas escolas consideradas de intervenção prioritária ou com contratos de autonomia.

SIC

Num aviso publicado hoje no portal da Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE), explica-se que, ao candidatar-se às ofertas da BCE, os professores estão a "manifestar interesse para uma oferta que surja ao longo do ano letivo" nas escolas e agrupamentos a que concorram.

A nota informativa que acompanha o aviso refere também que estão disponíveis minutas para declaração de comprovação de dados relativos aos critérios de avaliação exigidos pelas escolas nas candidaturas, as quais devem ser preenchidas pelos diretores escolares, a pedido dos candidatos.

"Os docentes que não comprovarem os dados inseridos na candidatura, não poderão celebrar contrato", refere a nota da DGAE, acrescentando que aqueles que prestarem falsas declarações e confirmações de dados ficam sujeitos a sanções que podem ir da anulação da eventual colocação obtida ao afastamento dos concursos de professores ao longo do ano.

No ano passado, o primeiro em que se aplicou a BCE como forma de colocação de professores contratados nas escolas consideradas Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP) e nas escolas com contrato de autonomia, a dificuldade em confirmar a veracidade dos dados apresentados pelos professores, nas suas candidaturas, contribuiu para atrasar o processo de colocação.

"Após a candidatura serão elaboradas listas ordenadas" por escola e agrupamento de escolas, "tendo em conta a graduação profissional dos candidatos (50%) e o modelo de avaliação curricular (50%) anteriormente definido por essa unidade orgânica", explica a DGAE.

A avaliação curricular tem em conta a avaliação de desempenho do docente, a experiência profissional e o nível de habilitações e formação complementar.

A publicação das listas ordenadas deve ser feita por cada escola que tenha lançado horários a concurso na BCE.

Os colocados na BCE terão o seu contrato a iniciar-se a 01 de setembro, desde que o horário seja lançado pelas escolas na plataforma eletrónica para o efeito até 21 de setembro, o último dia para o início do arranque do ano letivo.

As múltiplas colocações para apenas um docente, um dos problemas que causou maior atraso na colocação no ano passado, volta a ser possível no modelo deste ano, mas os diretores já afirmaram que estão convictos de que, se puderem começar a contactar os professores logo no início de setembro, os atrasos como os registados em 2014-2015 poderão ser reduzidos ou até mesmo anulados.

A DGAE termina a nota informativa deste ano, relativa à BCE, com um apelo aos professores, sublinhando que o objetivo deste concurso é "colmatar rapidamente a ausência de docentes, salvaguardando o interesse dos alunos e reduzindo qualquer prejuízo que daí possa advir", pedindo, por isso, a "colaboração dos candidatos, apelando à maior celeridade possível na aceitação ou não aceitação dos horários para os quais forem selecionados, com vista à rápida satisfação da necessidade" das escolas.

As contratações através da BCE arrancam a 02 de setembro. As alterações ao modelo deste concurso de colocação de docentes este ano reduziram os parâmetros e critérios de seleção disponíveis nas candidaturas de 138 para 12, tornando-os também mais objetivos, o que leva os diretores a acreditar que o concurso será mais rápido este ano.

O ministro da Educação, Nuno Crato, assumiu no parlamento, em setembro de 2014, que o processo de colocações de professores nas escolas pela primeira BCE tinha erros matemáticos na fórmula de cálculo das listas ordenadas, pelos quais pediu desculpa a pais, alunos, deputados e ao país.

Os erros acabariam por obrigar a anular este concurso, a refazer a lista e a corrigir colocações, que deixaram muitos professores, inicialmente colocados, sem um lugar nas escolas, e motivaram atrasos de meses na colocação de docentes, deixando milhares de alunos sem aulas a várias disciplinas.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Casas de Luís Filipe Vieira e Pedro Guerra foram alvo de buscas
    2:39

    Desporto

    O caso dos emails levou esta quinta-feira a Polícia Judiciária a fazer buscas no Estádio da Luz e nas casas de Luís Filipe Vieira, o comentador Pedro Guerra e Paulo Gonçalves, o assessor jurídico do clube das águias. O advogado foi constituído arguido, mas só porque um advogado para ser alvo de buscas precisa de ser arguido.

  • Buscas no Benfica? "A Justiça está a funcionar"
    0:18

    Desporto

    Bruno de Carvalho reagiu esta quinta-feira às buscas efetuadas no Benfica. À saída de uma audiência no Ministério da Educação, o presidente do Sporting abordou o tema para dizer que é sinal de que a justiça está a funcionar.

  • Este foi provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC