sicnot

Perfil

País

Portugal vai receber mais de 1.400 refugiados

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse hoje que Portugal deverá acolher 1.400 refugiados concentrados na Grécia e no sul de Itália.

Refugiados afegãos atravessam ilegalmente a fronteira entre a Sérvia e a Hungria.

Refugiados afegãos atravessam ilegalmente a fronteira entre a Sérvia e a Hungria.

© Laszlo Balogh / Reuters

"O valor que tem estado em cima da mesa e que tem nesta altura a nossa concordância é pouco mais de 1.400 [refugiados], mas seja como for, o nosso objetivo é encerrar esta discussão de forma a resolver o problema", declarou hoje o primeiro-ministro em Málaga (Espanha), onde está em visita ao destacamento nacional que participa na operação Indalo, da agência Frontex, instituição com a qual Portugal colabora desde 2011 em operações conjuntas no âmbito da detenção de fluxos migratórios ilegais no Mediterrâneo.

A 26 de junho, no final do Conselho Europeu em Bruxelas, o primeiro-ministro tinha dito que Portugal defendeu um ajustamento dos critérios que indicam que o país deveria acolher 2.400 pessoas.

Hoje, o chefe do executivo disse que "não é verdade que haja uma diminuição [do número de refugiados que Portugal deverá receber]. O que houve foi um trabalho feito na base voluntária entre todos os Estados para tentar atingir um volume global da União Europeia de recolocação e reinstalação de cerca de 50.000 imigrantes".

A Agenda para a Migração foi um dos temas que dominou o conselho europeu do final de junho com a reunião a dedicar várias horas à discussão da proposta da Comissão Europeia para o acolhimento de migrantes.

Lusa

  • Passos Coelho diz que UE não tem dado resposta aos fluxos migratórios
    0:59

    Mundo

    O primeiro-ministro ponta o dedo à União Europeia na resposta aos fluxos migratórios ilegais no Mediterrâneo. Pedro Passos Coelho diz que nunca foi dito aos Estados Membros o que faz falta para concertar a estratégia para um problema comum, com várias raízes e que compromete a segurança do continente. Declarações em Málaga, na visita ao destacamento da Força Aérea Portuguesa que integra a Operação Indalo, uma missão da Frontex, a Agência europeia responsável pela gestão das fronteiras.

  • Passos discorda de quotas para acolhimento de imigrantes
    0:55

    País

    O primeiro-ministro admitiu esta sexta-feira que Portugal deve fazer mais, em matéria de acolhimento de refugiados. Passos Coelho não concorda, no entanto, com a proposta de quotas, feita pela Comissão Europeia, para acolher os imigrantes que atravessam o Mediterrâneo. Passos - que esteve esta sexta-feira em Lisboa na cimeira luso-tunisina - considera que o acolhimento de imigrantes e refugiados deve ter em linha de conta a situação económica e financeira dos países que os vão receber.

  • Portugal pode receber 10 M€ para acolher 1701 refugiados

    País

    Portugal poderá vir a receber 10 milhões de euros para acolher 1700 refugiados que entraram na Europa através da Grécia e Itália. Os números fazem parte do  mecanismo temporário de emergência apresentado hoje pela Comissão Europeia, para aliviar a pressão sobre os dois países.

  • Histórias de refugiados em Portugal
    6:16

    País

    Num momento em que o número de refugiados que tentam chegar à Europa é cada vez maior, Portugal lida com o mesmo fenómeno. Só na primeira metade deste ano já triplicou o número de pedidos de asilo no país. Os novos refugiados vêm da China, da Ucrânia e de outros países onde há guerra e miséria. Muitos são crianças que chegam ao aeroporto de Lisboa completamente sozinhas.

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.