sicnot

Perfil

País

Propostas dos partidos sobre alterações ao sistema político

A coligação PSD/CDS-PP admite a introdução do voto preferencial em que os eleitores, para além de escolherem o partido, podem indicar candidatos na lista partidária, enquanto o PS defende a introdução de círculos uninominais, medida em que PCP e BE estão contra.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lusa

Bloco de Esquerda (BE)

·Recusa dos círculos uninominais, que considera promover "artificialmente a bipartidarização e um regime de maiorias absolutas"

·Abrir as eleições legislativas à participação de listas de cidadãos

·Alargar o direito de voto aos cidadãos estrangeiros que vivam há mais de 3 anos em Portugal e aos cidadãos com mais de 16 anos

·Diminuir assinaturas necessárias para as iniciativas legislativas de cidadãos e permitir o direito de petição popular para a fiscalização constitucional sucessiva

·Rever a lei de financiamento dos partidos para reforçar o controlo das campanhas e diminuir tetos máximos de financiamento das campanhas

·Tornar obrigatório regime de exclusividade dos deputados

Coligação Democrática Unitária (CDU)

·Impedir novas e mais profundas "mutilações" da Constituição, num quadro em que a próxima legislatura mantém poderes de revisão constitucional

·Lutar contra projetos de revisão das leis eleitorais que "visem favorecer artificialmente a bipolarização entre PS e PSD", seja através da redução do número de deputados, da criação de círculos uninominais ou da redução e manipulação da dimensão dos círculos existentes.

·Combater os projetos de eliminação da eleição direta e proporcional dos executivos municipais

·Reduzir o financiamento público dos partidos e das campanhas eleitorais, impor limites mais restritivos às despesas com as campanhas eleitorais e eliminar "disposições legais absurdas e persecutórias" de limitação das iniciativas de angariação de fundos

·Facilitar da apresentação de iniciativas legislativas ou de referendo à Assembleia da República e valorizar o exercício do direito de petição junto de quaisquer entidades públicas

Partido Socialista (PS)

·Reformar sistema eleitoral para a Assembleia da República introduzindo círculos uninominais

·Alargar a possibilidade de voto antecipado, ampliando o elenco das profissões e situações em que se aplica

·Criar condições para o exercício do direito de voto em qualquer ponto do país, independentemente da área de residência

·Adoção de um Código da Transparência, a que estarão sujeitos, por exemplo, os titulares de cargos políticos e os gestores públicos

·Impor prazos máximos ao Tribunal Constitucional para decidir em casos de fiscalização sucessiva

·Aprovar legislação no Conselho de Ministros apenas uma vez por mês (mantendo as reuniões semanais)

·Fixar duas datas por ano para entrada em vigor de toda a legislação e procurar que as alterações fiscais sejam feitas apenas uma vez por legislatura e no seu início

Portugal à Frente (PSD/CDS-PP)

· Prevê a possibilidade da introdução do voto preferencial, em que os eleitores, para além de fazerem uma opção partidária, podem indicar candidatos da sua preferência na lista partidária.

· O desenvolvimento de projetos-piloto de voto eletrónico e de voto em mobilidade, especialmente para as comunidades no estrangeiro

· Reforçar as garantias de transparência na ação política, através da universalidade e da harmonização dos registos de interesses exigidos aos titulares de cargos políticos e públicos

· Disponibilidade para alterar a Constituição sobretudo no que consideram "o abuso e o excesso de dívida pública".

Lusa

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01