sicnot

Perfil

País

Fogo em Mangualde com uma frente ativa, linha da Beira Alta cortada

O fogo em mato no concelho de Mangualde, no distrito de Viseu, permanece ativo desde o início da tarde, com três frentes, combatido por 336 operacionais, tendo provocado o encerramento da linha férrea da Beira Alta.

"O incêndio continua ativo e está a ser avaliada a linha da Beira Alta para ver se é possível abrir à circulação", explicou à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu.

A linha da Beira Alta está cortada desde as 16:27, disse a fonte, acrescentando que "o fogo arde em mato, com três frentes ativas e que nenhuma residência está ameaçada.

O incêndio, com início às 15:59, está a ser combatido por 336 operacionais, apoiados por 96 meios terrestres.

A Proteção Civil apenas destaca na sua página na Internet incêndios com mais de três e com mais de 15 operacionais.

Às 23:45, estavam oito incêndios ativos em Portugal continental, segundo aquela entidade.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil alertou hoje para o risco de incêndio florestal nos próximos dias, em níveis "elevado" e "muito elevado", devido às previsões do tempo seco e vento moderado.

Segundo a Proteção Civil, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê, para os próximos dias, uma subida gradual da temperatura, com máximas no interior a rondar os 40 graus no sábado, e mínimas acima dos 20 graus.

Lusa

  • A inédita entrevista do príncipe Harry a Barack Obama
    0:47

    Mundo

    Foi divulgado um vídeo pouco habitual, onde aparece o príncipe Harry a entrevistar Barack Obama para um programa de rádio. A conversa foi gravada em setembro, durante um evento desportivo para militares com deficiência, e será transmitida na íntegra no dia 27 de dezembro.

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01
  • Seis meses depois da tragédia de Pedrógão Grande
    5:55

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assinalou-se este domingo meio ano desde que o país ficou em choque com o rasto de morte e destruição causado pelos incêndios florestais na região centro. A tragédia de Pedrogão Grande foi há precisamente seis meses. Enquanto segue a reconstrução no tempo possível e com o Natal à porta, a vida prossegue, mas não voltará a ser mesma.