sicnot

Perfil

País

Portugal envia ajuda para combater fogo florestal na Extremadura espanhola

Portugal vai enviar mais de 100 operacionais e 30 veículos para ajudar no combate ao fogo florestal que lavra há três dias sem controlo na província espanhola da Extremadura e já obrigou à retirada de quase 2.500 pessoas.

Sierra de Gata, Espanha.

Sierra de Gata, Espanha.

MINISTRY OF AGRICULTURE / HANDOU

Vai sair de Portugal "uma coluna nacional da base de apoio logístico de Castelo Branco, composta por três grupos de combate a incêndios florestais com mais de 100 operacionais e mais de 30 veículos", disse à Lusa fonte da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC).

O fogo, que deflagrou na quinta-feira na Sierra de Gata, já consumiu mais de 6.500 hectares e é combatido por centenas de bombeiros de várias regiões de Espanha, apoiados por 16 helicópteros e aviões de combate a incêndios.

Cerca de 1.000 habitantes da aldeia de Hoyos foram retirados hoje de manhã das suas casas, juntando-se aos cerca de 1.400 retirados na sexta-feira de outras duas aldeias próximas, informou hoje o governo regional da Extremadura (oeste) num comunicado.

"O vento atiçou as chamas e fez alastrar o fogo, obrigando à evacuação de Hoyos devido sobretudo ao fumo", disse um responsável local da Cruz Vermelha, José López Santana, à rádio pública.

A causa do incêndio ainda não foi apurada, mas, segundo o chefe do governo regional, Guillermo Fernández Vara, "tudo parece indicar" para origem criminosa.

"Quando um fogo se concentra numa área muito específica é porque houve alguma intervenção humana porque não é mais quente e seco na Sierra de Gata que no resto da Extremadura", disse.

Segundo os bombeiros, o vento forte e em constante mudança de direção está a dificultar o combate, assim como a condensação do fumo.

Lusa

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.