sicnot

Perfil

País

PJ investiga incêndio em São Mamede de Infesta

PJ investiga incêndio em São Mamede de Infesta

Mais de 130 bombeiros de Matosinhos e dos concelhos limítrofes combateram um incêndio num armazém na zona industrial de São Mamede da Infesta. Não houve feridos mas o caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

O incêndio de grandes dimensões que deflagrou na segunda-feira à noite num armazém da zona industrial de São Mamede de Infesta, em Matosinhos, está dominado, mas ainda não entrou na fase de rescaldo, disse à Lusa fonte do CDOS.

"Não há perigo de alastrar a outros edifícios vizinhos, porque o fogo está circunscrito desde cerca das 01:00 ao armazém, que ficou totalmente destruído", disse a fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), sublinhando que "dois bombeiros tiveram de receber assistência médica devido a entorses".

De acordo com a mesma fonte, no local mantém-se praticamente os mesmos meios, com 146 homens, auxiliados por 48 viaturas, tendo-se já efetuado um reforço com mais três viaturas de reabastecimento de água.

O comandante dos Bombeiros de São Mamede de Infesta, Gilberto Gonçalves, disse, no local, em declarações transmitidas em direto pelas televisões, que o incêndio, com início registado às 22:18 de segunda-feira foi circunscrito às várias áreas e estruturas da empresa de logística ali situada, diminuindo assim o risco de propagação a outros imóveis.

Gilberto Gonçalves admitiu, que face os produtos muitos inflamáveis ali existentes, como pneus e cartão, a "operação será muito morosa".

O operacional dos bombeiros de Matosinhos sublinhou que a Polícia Judiciária já se encontra no local para investigar as causas da ignição deste "incêndio de proporções gigantescas".

Antes destas declarações, a vereadora da Proteção Civil da Câmara de Matosinhos, Lurdes Queirós, disse à agência Lusa que a "grande preocupação" era precisamente "circunscrever o incêndio" de grandes dimensões, que tem "uma carga térmica muito elevada".

Também na segunda-feira, um outro incêndio numa fábrica de rolhas de cortiça no mesmo concelho, Matosinhos, causou cinco feridos, um dos quais em estado grave, com queimaduras de segundo e terceiro grau.

Com Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.