sicnot

Perfil

País

Governo está a trabalhar na redação do estatuto dos militares da GNR

A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, disse hoje em Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança que o Governo está trabalhar na redação do estatuto dos militares da Guarda Nacional Republicana.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lusa

"Estamos a trabalhar em detalhes de redação e também a acertar outros detalhes com outros ministérios", frisou a ministra sem avançar mais pormenores sobre a matéria.

A governante falava à margem da assinatura de um protocolo entre o governo e município de Macedo de Cavaleiros, para reabilitação das instalações do posto local da GNR.

A Associação Nacional dos Oficiais da Guarda (ANOG) já havia questionado as razões que impedem o Governo de aprovar o novo estatuto dos militares da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Na passada quinta-feira, 13 de agosto, o ministro da Presidência, Marques Guedes, afirmou que os estatutos da PSP e da GNR são "processos que ainda não estão concluídos", mas que "oportunamente" vão ser discutidos e aprovados em Conselho de Ministros.

Em comunicado, a associação que representa os oficiais da guarda questiona-se sobre "os motivos que impedem o Governo de aprovar o novo estatuto dos militares da Guarda Nacional Republicana".

Para a associação, os novos estatutos deveriam ter sido aprovados na reunião do Conselho de Ministros de 30 julho.

"Veio a verificar-se, uma vez mais, um adiamento no tempo sem qualquer explicação para tal, pois era expectável que no Conselho de Ministros de 13 de agosto o mesmo [assunto] fosse discutido", refere a ANOG, sublinhando que a não aprovação culmina na "manutenção de um prejuízo manifesto para todos os que laboram" na instituição.

Isto porque se os estatutos tivessem já sido aprovados, tal resultaria numa "melhoria substancial na regulação da vida profissional dos militares da guarda, nos mais variados aspetos da mesma e em todas as categorias: oficiais, sargentos e guardas, em exceção", destacou.

Na quinta-feira, o Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP-PSP) repudiou o facto de o estatuto profissional da PSP não ter sido aprovado pelo Governo e anunciou que se vai reunir para decidir formas de luta.

Também a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) anunciou que vai realizar ações de protesto para contestar a não aprovação do estatuto profissional da PSP pelo Governo, o mesmo acontecendo com a Associação dos Profissionais da Guarda, da GNR.

No memorando, assinado em junho entre o ministério tutelado por Anabela Rodrigues e quatro sindicatos da PSP ficou estabelecido que os polícias mantinham as 36 horas de trabalho e passavam a ter uma nova tabela remuneratória, que permitiria um aumento de salário até 50 euros, além de permitir que a passagem à pré-aposentação passe a ser automática aos 55 anos de idade e 36 anos de serviço, e a reforma aos 60 anos sem qualquer penalização.

Lusa

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.