sicnot

Perfil

País

Morreu militar sérvio que cumpria pena por crimes de guerra em Portugal

A Direção-Geral dos Serviços Prisionais portugueses confirmou esta segunda-feira a morte de um antigo militar sérvio condenado por crimes de guerra durante o conflito dos Balcãs, que cumpria pena em Portugal.

Mile Mrksic tinha 68 anos e morreu ontem num hospital público, vítima de doença prolongada. (Arquivo)

Mile Mrksic tinha 68 anos e morreu ontem num hospital público, vítima de doença prolongada. (Arquivo)

Mile Mrksic tinha 68 anos e morreu ontem num hospital público, vítima de doença prolongada.

O sérvio cumpria uma pena na cadeia de alta segurança de Monsanto. O ex-oficial do Exército entregou-se ao Tribunal Internacional para a antiga jugoslávia da ONU em 2002.

Em 2009 foi condenado a 20 anos de prisão pela tortura e homicídio de quase 200 pessoas. Mrksic foi o responsável por retirar as tropas que guardavam os prisioneiros de guerra croatas, e assim permitir que as forças paramilitares sérvias os torturassem.

Na altura, o tribunal considerou que, apesar de não ter participado ativamente nos homicídios, não fez nada para impedir o massacre.

  • Taxa de desemprego abaixo dos 10%

    Economia

    A taxa de desemprego em fevereiro ficou afinal nos 9,9%. O Instituto Nacional de Estatística reviu o indicador em baixa de 0,1 pontos percentuais, esta sexta-feira. É o valor mais baixo desde fevereiro de 2009.

  • Incêndio dominado em Gondomar
    4:25

    País

    Está dominado o incêndio que esta manhã obrigou à evacuação da Escola Secundária de São Pedro da Cova, no concelho de Gondomar. A repórter Susana Bastos esteve no local.

  • "Tanolas" tem cadastro criminal e já foi condenado a pena suspensa
    0:55
  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    Luís Montenegro garante que nunca será candidato à presidência do PSD contra o Passos Coelho. Convidado da Quadratura do Círculo, na SIC Notícias, o líder da bancada dos sociais-democratas acha mesmo que é um exagero dizer-se que Pedro Passos Coelho está politicamente morto.