sicnot

Perfil

País

GNR distribui folhetos com riscos de condução sob efeito do álcool

A GNR realiza hoje uma ação de sensibilização e informação sobre os riscos da condução automóvel sob efeito do álcool, com a distribuição de folhetos em centros de saúde, hospitais, bombas de gasolina e estabelecimentos comerciais.

(SIC/ Arquivo)

(SIC/ Arquivo)

A campanha, dirigida aos condutores, vai decorrer em vários pontos do país e inclui a distribuição, por parte dos militares, de cerca de 400 mil folhetos com a mensagem "1 em cada 3 condutores mortos em acidentes de viação conduzia com uma taxa ilegal de álcool no sangue", informou a GNR em comunicado.

A iniciativa "A decisão de quem o leva a casa é sua" conta com o apoio da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e realiza-se em locais de grande concentração de pessoas, como centros de saúde, hospitais, bombas de gasolina, estabelecimentos comerciais e juntas de freguesia.

Em Mafra, no Parque da Praia da Foz do Lizandro, os militares da GNR serão auxiliados por um grupo de crianças.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.