sicnot

Perfil

País

PJ deteve grupo suspeito de tráfico de estupefacientes na Guarda

A Polícia Judiciária (PJ) da Guarda anunciou hoje a detenção de um grupo de nove pessoas, seis homens e três mulheres, com idades entre os 20 e os 42 anos, suspeitos de tráfico de estupefacientes.

Segundo uma nota do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, os detidos são suspeitos de "envolvimento em atividade regular, quotidiana, de tráfico de estupefacientes, na cidade da Guarda e em localidades próximas".

No âmbito de uma investigação que estava em curso há já vários meses, na quarta-feira, a PJ realizou diversas buscas domiciliárias na cidade da Guarda e em Vila Nova de Gaia.

Na sequência das buscas, aquela polícia apreendeu haxixe em quantidade suficiente para a preparação mínima, aproximada, de 1.780 doses individuais, 48 comprimidos de "oxazepam", várias centenas de euros, uma viatura de gama alta, dois moinhos, uma balança de precisão e facas utilizadas na divisão de estupefacientes.

"Este grupo desenvolvia a sua atividade essencialmente na região da Guarda, sendo certo que o abastecimento de produtos estupefacientes ocorria a partir do litoral norte, mais concretamente da área do Grande Porto", indica a PJ no comunicado hoje divulgado.

Os detidos têm todos antecedentes criminais pela prática da mesma atividade ilícita e alguns por criminalidade contra o património.

A PJ adianta que vão ser presentes às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e eventual submissão a adequadas medidas de coação.

Lusa

  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06