sicnot

Perfil

País

Aplicação brasileira para chamar táxis quer conquistar mercado português

A empresa brasileira que desenvolveu a aplicação 99Taxis, que permite chamar um táxi através do telemóvel, está em Lisboa desde janeiro, começou a operar agora no Porto e pretende alargar-se às grandes cidades do país.

Arquivo

Arquivo

SIC

"Este investimento tem-se mostrado uma ótima certeza", disse à Lusa Pedro Fonseca, representante da 99Taxis em Portugal.

A operar em Lisboa desde o início do ano, aquela aplicação já foi descarregada por cerca de 800 taxistas e mais de 10 mil pessoas.

No Porto, já conta com cerca de 100 taxistas, indicou o responsável.

"Já temos também taxistas no Algarve, em Almada, Moscavide, Sintra, Oeiras e Queluz", acrescentou.

Aquela aplicação permite que se chame um táxi através de um smartphone e o sistema irá encontrar a viatura mais próxima.

O serviço permite ainda mais facilidade na recuperação de objetos esquecidos dentro do carro, "já que é fácil identificar e contactar o motorista", indicou a empresa.

A aplicação permite ainda ao passageiro avaliar o condutor, o serviço e o carro.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.