sicnot

Perfil

País

Cidadãos contra Acordo Ortográfico apelam à participação em manifestação sábado

O grupo de "Cidadãos contra o Acordo Ortográfico de 1990" apelou hoje à participação da população na manifestação "apartidária e em defesa da língua portuguesa" marcada para sábado, às 14:30, no Largo do Chiado, em Lisboa.

© Christian Hartmann / Reuters

Depois da concentração, segue-se um desfile, às 15:00, em direção à Assembleia da República, indicou à agência Lusa Artur Magalhães Mateus, porta-voz da comissão executiva da iniciativa que tem como finalidade promover um referendo sobre o Acordo Ortográfico.

"O objetivo é dar visibilidade ao ativismo contra o Acordo, e alertar as forças políticas de que a iniciativa existe e que deve ser viabilizada", defendeu o responsável.

A manifestação está a ser divulgada através das redes sociais e é da responsabilidade do grupo do facebook "Cidadãos contra o "Acordo Ortográfico" de 1990" criado há dois anos na internet e que defende a realização de um referendo, para o qual já recolheu 15 mil assinaturas, indicou o porta-voz.

Segundo o responsável, "quando for concluída a recolha de 75 mil assinaturas em papel, terá de haver obrigatoriamente uma votação da iniciativa no parlamento".

"Queremos que os cidadãos sejam finalmente ouvidos nesta matéria. A língua portuguesa não pertence aos que estão dentro dos gabinetes a tomar decisões para a alterar. Pertence a todos, sobretudo à população", sustentou.

O grupo que promove a manifestação, afirma Artur Magalhães Mateus, está convicto de que será fácil conseguir a totalidade das assinaturas porque "os estudos já desenvolvidos revelam que mais de 85% dos portugueses são totalmente contra o Acordo".

Indicou ainda que durante a manifestação serão recolhidas assinaturas para a iniciativa do referendo.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.