sicnot

Perfil

País

Cinco desaparecidos e dois resgatados vivos em naufrágio na Figueira da Foz

Cinco pessoas estavam desaparecidas às 21:00 desta terça-feira após um naufrágio na Figueira da Foz e outras duas foram resgatadas com vida, disse à agência Lusa fonte dos bombeiros voluntários locais.

PAULO NOVAIS / Lusa

Um arrastão com mais de 20 metros naufragou às 19:15 de hoje à entrada do porto da Figueira da Foz.

Às 21:00 estavam cerca de duas dezenas de pessoas no molhe sul do porto, que criticavam veementemente a falta de uma operação de salvamento no mar.

No rio Mondego esteve e ainda se mantém uma lancha da Polícia Marítima e uma mota de água, que resgatou os dois sobreviventes.

A Marinha garantiu entretanto à Lusa que ativou um meio aéreo e o navio de patrulha oceânico para auxiliar a tripulação da embarcação que naufragou à entrada do porto da Figueira da Foz. Cerca das 21:00, o meio aéreo tinha chegado ao local.

Segundo o porta-voz da Marinha, comandante Paulo Vicente, a "embarcação [que naufragou] está num sítio inacessível e ninguém consegue alcançá-la" devido às condições do mar.

"Está a chegar um meio aéreo e o navio de patrulha oceânico 'Figueira da Foz'", disse antes à Lusa o porta-voz da Marinha, explicando que vários meios, incluindo motas de água, tentaram alcançar o local onde a embarcação naufragou, mas sem sucesso devido à agitação marítima.

De acordo com testemunhas oculares, surfistas que estavam na praia interior do molhe sul, o "Cabedelinho", disseram que estariam cinco a seis pessoas numa balsa de salvamento e dois pescadores agarrados ao casco do arrastão que se virou a poucas dezenas de metros do molhe sul.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.