sicnot

Perfil

País

Maioria dos apelos ao SOS-Criança são feitos por crianças que se sentem sós

A maioria dos apelos que chegam diariamente à Linha SOS-Criança são feitos por crianças que se sentem sós, mesmo acompanhadas em casa, disse esta quarta-feira à agência Lusa o coordenador do serviço, Manuel Coutinho.

Desde 1998 (ano em que o serviço foi criado) já chegaram mais 116 mil situações à Linha. Em 2014, recebeu 5799 novas situações. (Arquivo)

Desde 1998 (ano em que o serviço foi criado) já chegaram mais 116 mil situações à Linha. Em 2014, recebeu 5799 novas situações. (Arquivo)

SIC

Segundo o psicólogo, 64% dos apelos que chegaram no ano passado ao serviço telefónico do Instituto de Apoio à Criança (IAC) foram feitos por "meninos, meninas e jovens que queriam falar com alguém".

"As crianças e os jovens, por vezes, vivem numa solidão acompanhada. Estão pessoas perto deles, mas não têm confiança, não têm à vontade para falar com essas pessoas e ligam para o serviço SOS-Criança", contou Manuel Coutinho.

Estas crianças "estão sozinhas e fechadas dentro delas próprias e são essas crianças, com dúvidas existenciais, com ideação suicida, com angústia, com os medos depressivos que procuram frequentemente" este serviço.

O secretário-geral do IAC explicou que o que "acontece muito" é as famílias estarem a passar por "períodos de grande fragilidade, não conseguindo conter" a pressão que recai sobre elas.

Ao não conseguirem enfrentar "tanta dificuldade" deixam, por vezes, "perpassar para as crianças uma falta de cuidado e atenção adequada" ou "não têm recursos nem meios para fazer frente à dificuldade e às necessidades que as crianças hoje precisam".

Por outro lado, as famílias têm cargas horárias cada vez maiores que não se compatibilizam com os horários das escolas, o que contribui para que muitas crianças passem mais tempo sozinhas e aumente os seus sentimentos de "angústia e solidão", advertiu o psicólogo.

Desde 1998 (ano em que o serviço foi criado) já chegaram mais 116 mil situações à Linha. Em 2014, recebeu 5799 novas situações.

Segundo Manuel Coutinho, "a complexidade dos apelos apresentada", desde que o serviço foi criado, "tem vindo a aumentar" e as situações a tornarem-se "cada vez mais delicadas" e mais difíceis de resolver.

Para o psicólogo, esta realidade exige "um maior trabalho de articulação e parceria" com todos os serviços de apoio e proteção das crianças para "encontrar uma resposta conjugada que permita ajudar a criança a retomar o normal funcionamento no seu dia-a-dia".

Há outras questões que fazem com que as crianças liguem, muitas delas relacionadas com pedidos de prevenção e de apoio, que totalizaram 25% das situações no ano passado.

"Quando as crianças estão com dúvidas existenciais e estão aflitas ligam para o SOS-Criança, mas muitas vezes são também os adultos que procuram ajuda", contou.

Vinte por cento dos apelos que chegaram à linha, em 2014, foram de crianças em risco, enquanto 18% foram de crianças vítimas de negligência e 12% vítimas de maus-tratos físicos dentro da família.

Os maus tratos psicológicos representaram 9% de apelos e as questões da regulação do exercício das responsabilidades parentais 8%.

"Há aqui um conjunto de situações que está próxima do mundo das crianças e em que a sociedade em geral tem que pôr a lupa e dar maior atenção", defendeu Manuel Coutinho, destacando a importância de divulgar o serviço gratuito SOS-Criança (116111) para chegar a um maior número de pessoas.

Das crianças apoiadas pelos técnicos da linha no ano passado, 54% eram meninas.

No último ano, 47% dos apelos eram de Lisboa, 19,5% de Viseu 16% do Porto, 11% de Setúbal, 4% de Faro e 3% de Aveiro.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59