sicnot

Perfil

País

Proteção Civil lança alerta por chuva e vento forte

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) lançou hoje um aviso à população de chuva e vento forte entre sábado e segunda-feira, sobretudo no litoral, centro e sul, que poderão provocar inundações e lençóis de água.

JOSE COELHO

Segundo a Proteção Civil, prevê-se "precipitação pontualmente intensa com acumulados que poderão chegar os 60mm/12h", que se estende a todo o território continental, e "vento moderado a forte de quadrante sul (30-50km/h) com rajadas que poderão chegar aos 70km/h", sendo que nas terras altas soprará com intensidade a variar entre os 50-70km/h com possibilidade de ocorrência de rajadas que poderão atingir os 120km/h.

Entre os efeitos possíveis da chuva e vento forte, a ANPC alertou para a possibilidade de cheias rápidas nas cidades, inundações por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis e inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem, danos em estruturas montadas ou suspensas, queda de ramos ou árvores, devido ao vento mais forte, e piso rodoviário escorregadio com possível formação de lençóis de água.

"O eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados", afirmou a Proteção Civil, em comunicado, destacando as zonas historicamente mais vulneráveis, onde recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações.

A ANPC apela à população para que garanta "a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais", retirando objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.

A Proteção Civil recomenda uma condução defensiva e que não sejam atravessadas zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

Para precaver do vento forte, a ANPC aconselha uma adequada fixação de estruturas soltas e um especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, pois é possível ocorrer queda de ramos e árvores.

Entre outras medidas preventivas, a Proteção Civil avisa a população para "ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros".

Além disso, pede para que se evite a circulação e permanência nestes locais, assim como "não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar", evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima.

O aviso à população para precipitação e vento forte foi feito às 14:00 de hoje, após um contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Lusa

  • Chuva e vento forte no fim de semana

    País

    Portugal continental vai estar, no sábado, sob aviso amarelo devido à previsão de chuva forte acompanhada de trovoada e rajadas de vento que podem chegar aos 100 km/hora, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.