sicnot

Perfil

País

Portuguesa detida por tráfico de droga no mesmo voo em que morreu português

A polícia irlandesa que está a investigar a morte do português a bordo de um voo para Dublin descobriu uma mulher que suspeita também ser portuguesa e que alegadamente transportava 1,8 quilogramas de anfetaminas.

© Jon Nazca / Reuters

"Durante a investigação a este incidente, a Gardaí [polícia irlandesa] descobriu o que pensa ser 1,8 quilogramas de anfetaminas na bagagem de uma mulher com cerca de 40 anos que viajava no mesmo voo", disse hoje um porta-voz à agência Lusa.

A mulher, que a polícia pensa ser também de nacionalidade portuguesa, foi detida às 23:00 no aeroporto no âmbito da lei de tráfico de droga.

O mesmo porta-voz da polícia irlandesa confirmou que o voo em causa, entre Lisboa e Dublin, foi desviado para a cidade de Cork porque o jovem português de 25 anos "se tornou agitado", tendo sido assistido por um médico e uma enfermeira que também viajavam no avião.

Porém, o homem acabou por ser declarado morto no aeroporto às 18:40 locais [mesma hora em Lisboa].

"O corpo do homem foi levado para o Hospital da Universidade de Cork onde será realizada uma autópsia esta tarde", disse.

Um outro passageiro que foi ferido na mão, alegadamente mordido enquanto tentava segurar o jovem português, foi tratado no mesmo hospital.

Lusa

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. Esta madrugada em Cambrils, cinco suspeitos foram abatidos e outra pessoa acabou por morrer, num segundo ataque. Há quatro detenções confirmadas. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Autoridades acreditam que suspeito do ataque nas Ramblas pertence a célula terrorista
    1:36
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55