sicnot

Perfil

País

Desalojados de incêndio na Ribeira do Porto vão ter casa, diz vereador

Galeria de fotos

O vereador da Proteção Civil da Câmara do Porto garantiu que os inquilinos desalojados do incêndio que deflagrou hoje num edifício da Ribeira, naquela cidade, vão ter casa, e os residentes insistem em manter-se a morar na zona.

Lusa

Lusa

RICARDO CASTELO

Lusa

Lusa

RICARDO CASTELO

Lusa

Lusa

RICARDO CASTELO

Lusa

Lusa

RICARDO CASTELO

Um incêndio deflagrou hoje pelas 11:53, num edifício de quatro andares da Rua Cimo do Muro, na Ribeira do Porto.

"Nunca ninguém ficará sem casa", declarou à Lusa o vereador da Proteção Civil do Porto, Manuel Sampaio Pimental, acrescentando que vai falar com a Segurança Social e seguir os procedimentos normais numa situação de realojamento.

O responsável disse que não havia vítimas até ao momento em que prestava as declarações, apenas "danos materiais".

"Não vou ficar na rua, aí não vou não! Têm de me dar uma casa na Ribeira", exprimia Joana Monteiro, em lágrimas, depois de ver a sua casa, onde morava com a irmã e a mãe, incendiada com os pertences destruídos.

Também Noémia Campos, 79 anos, assegurava que a mãe de 89 anos, que morava no terceiro andar do edifício que ardeu hoje, tinha ficado sem casa e pedia à Câmara do Porto para que fosse encontrada uma solução habitacional na zona da Ribeira.

"A minha mãe não sai daqui, não vai para bairros com droga. A minha mãe nasceu aqui e fica aqui a morar", declarava Noémia, chorosa.

Os prédios contíguos ao edifício de quatro andares que ardeu hoje na Ribeira foram evacuados por precaução, informou o vereador da Proteção Civil, acrescentando que os bombeiros estavam a proceder à limpeza de "entulho" que existia no primeiro andar do prédio e que dificultou o combate às chamas.

A causa do incêndio ainda está por apurar, mas uma das locatárias do prédio afirmou à Lusa que o incêndio poderá ter tido origem na explosão do quadro elétrico do primeiro piso do imóvel.

O combate às chamas foi complicado por causa dos edifícios serem antigos e de difícil acesso, referiu o vereador da Proteção Civil.

O alerta do incêndio foi dado as 11.53 e às 14.33 estava na "fase de rescaldo", confirmou à Lusa fonte dos Sapadores de Bombeiros do Porto.

Lusa

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • Detido antigo diretor regional do BES na Madeira

    Queda do BES

    Foi detido o antigo diretor do Banco Espírito Santo da Madeira, no âmbito do chamado processo ao Universo GES. João Alexandre Silva tinha sido também o representante do BES na Venezuela, onde a instituição portuguesa abriu várias agências em diversas cidades e tinha cerca de 7600 clientes domiciliados.

    Notícia SIC

  • Couves, arroz integral e bróculos biológicos com pesticidas sintéticos
    2:29
  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".