sicnot

Perfil

País

Consumo de eletricidade cai 1,6% em outubro

O consumo de eletricidade em outubro sofreu uma queda de 1,6% com a correção dos efeitos de temperatura e de dias úteis face ao período homólogo, confirmando a tendência negativa dos últimos dois meses, segundo dados da REN.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

REUTERS

A evolução dos primeiros dez meses do ano passou a ser negativa em 0,1% com a correção do efeito da temperatura e dias úteis (e positiva em 1% sem esta aproximação dos fatores que influenciam o consumo).

No mês de outubro, as condições meteorológicas foram favoráveis à produção hidráulica e eólica, depois de vários meses de seca e com pouco vento.

A produção eólica atingiu o segundo valor mais elevado de sempre registado para outubro no sistema nacional.

Neste contexto, a produção renovável abasteceu 48% do consumo, a não renovável 52%, verificando-se ainda um saldo exportador equivalente a 9% do consumo nacional.

Desde o início do ano, a produção renovável abasteceu 48% do consumo, repartido pelas hidráulicas com 18%, eólicas 23%, a biomassa 5% e as fotovoltaicas 1,6%.

As não renováveis abasteceram também 48% do consumo, repartidas pelo carvão com 28% e pelo gás natural com 20%. Os restantes 4% foram abastecidos com recurso a importação.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.