sicnot

Perfil

País

Ministério Público pede prisão efetiva para homicida confesso em hospedaria do Porto

O Ministério Público (MP) pediu esta segunda-feira prisão "necessariamente" efetiva para um homem que em tribunal confessou ter matado outro com uma faca, a 1 de janeiro de 2015, numa hospedaria do Porto.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Durante as alegações finais, no Tribunal São João Novo, no Porto, a procuradora do MP frisou que o arguido, que confessou o crime no início do julgamento, a 05 de outubro, agiu com "frieza de ânimo" e "dolo intenso", mostrando "desprezo" pela vida humana.

A 1 de janeiro de 2015, o homicida confesso, com problemas de alcoolismo e toxicodependência, matou o marido da responsável da hospedaria onde estava alojado desde novembro de 2014 com uma faca, tendo, posteriormente, fugido, entregando-se à PSP horas depois.

O arguido tentou ainda matar a responsável pela hospedaria, mulher da vítima mortal, atingindo-a na zona do abdómen, obrigando-a a receber tratamento hospitalar.

Os dois homens ter-se-ão desentendido por causa de uma televisão, que o homicida confesso queria levar da hospedaria.

O MP considerou que o arguido só não matou a mulher porque esta conseguiu "escapulir-se", caracterizando o crime como de "ilicitude muito elevada".

O facto de o homem ter confessado o crime não é para o MP "relevante".

A advogada de defesa realçou que o arguido tem "consciência da gravidade dos factos", mas pediu que o coletivo de juízes tivesse em conta que não tem antecedentes criminais, confessou o crime, mostrou arrependimento e chamou o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para socorrer as vítimas.

Em prisão preventiva, o homicida repetiu hoje estar arrependido porque "ninguém tem o direito de tirar a vida a ninguém", frisando não ter feito "boa ação".

A leitura do acórdão está agendada para dia 26, às 14:00.

Lusa

  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15

    País

    Os fogos mais violentos começaram na Lousã, no distrito de Coimbra, e o cenário é desolador. Casas e empresas foram totalmente destruídas. Paulo Carvalho era dono de uma carpintaria, que foi reduzida a um monte de escombros.

  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10

    País

    As autoridades confirmaram a morte de oito pessoas no concelho de Vouzela. Agora é tempo de fazer o luto e tentar reerguer o que foi destruído pelo fogo. Os testemunhos emocionados dos moradores e do autarca relatam a destruição deixada pelas chamas. Custódia perdeu quase tudo. José teve de comprar um gerador para continuar a dar de beber às galinhas.

  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.