sicnot

Perfil

País

Assis quer ambiente livre, leal e plural na Comissão Nacional do PS

O eurodeputado socialista Francisco Assis afirmou hoje esperar que a reunião da Comissão Nacional do PS, no sábado, decorra num ambiente "livre e leal" na discussão sobre a eventual formação de um Governo de esquerda.

NUNO VEIGA

Esta posição consta de um comunicado de Francisco Assis em que justifica o adiamento do encontro que juntaria na Mealhada militantes socialistas que se opõem à formação de uma "frente de esquerda", no sábado, ao almoço, por coincidir com a realização da Comissão Nacional do PS.

"Deseja-se que a reunião da Comissão Nacional decorra num ambiente favorável à livre e leal troca de pontos de vista e contraposição de opiniões. Vivemos um momento de extraordinária importância na vida do nosso partido, o que obriga a um especial cuidado na observância dos princípios fundamentais que nos norteiam", escreve o cabeça de lista socialista nas últimas eleições europeias.

No comunicado, Francisco Assis frisa que o PS, "pela sua natureza e pela sua história, é um partido profundamente livre, plural e democrático".

"Adiámos um encontro em nome do respeito por esses princípios. Pela mesma razão continuaremos a manifestar as convicções profundas que nos animam nas presentes circunstâncias históricas", salienta o ex-líder parlamentar do PS entre 1997 e 2001 e entre 2009 e 2011.

No texto, Francisco Assis deixa também o sinal de que o encontro previsto para este sábado, na Mealhada, o qual iria juntar "um conjunto alargado de militantes do PS que não se reconhecem na orientação política atualmente prosseguida pela direção do partido", poderá voltar a ser remarcado dentro em breve.

"A marcação de uma reunião extraordinária da Comissão Nacional do PS para uma data coincidente com aquela em que ocorreria o encontro inviabiliza a realização deste último. Assim sendo, procedeu-se de imediato à desconvocação de tal reunião sem prejuízo da mesma se realizar em momento ulterior. Só assim ficam devidamente acautelados os superiores interesses do PS cuja salvaguarda tem de prevalecer sobre todas as divergências que internamente nos separem", afirma o eurodeputado socialista.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.