sicnot

Perfil

País

Chefe do Centro de Segurança Social de Lisboa detido por corrupção

Chefe do Centro de Segurança Social de Lisboa detido por corrupção

O chefe do departamento da Segurança Social em Lisboa foi detido pela Policia Judiciária. É suspeito de corrupção, falsificação de documentos e falsidade informática. A PJ deteve ainda uma outra pessoa e constituiu 10 arguidos numa operação que investiga um esquema que terá lesado o Estado em vários milhares de euros.

  • Chefe de serviço da Segurança Social e familiar detidos

    País

    A Polícia Judiciária e o Ministério Público estão a fazer buscas no edifício da Segurança Social em Lisboa. Em causa estarão crimes de corrupção e falsificação de documentos. Duas pessoas já foram detidas, um é chefe do Departamento de Remunerações do Centro Distrital da Segurança Social de Lisboa. Seria ele a cabeça de um esquema que terá lesado o Estado em muitos milhares de euros. O outro detido é um familiar seu, suspeito de angariar clientes para o esquema fraudulento.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.