sicnot

Perfil

País

Relação reduz para 22 anos a pena de prisão a um dos homicidas do Cais de Gaia

O Tribunal da Relação do Porto reduziu de 25 para 22 anos a pena de prisão decidida em primeira instância a um dos três arguidos no processo conhecido por "homicídio do Cais de Gaia".

De acordo com a informação disponibilizada hoje na página de Internet da Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto, aos restantes foi confirmada, na íntegra, a decisão recorrida, mantendo a pena de 25 anos de prisão a que foram condenados.

A nota da PGD não especifica as razões que determinaram a redução de uma das penas, referindo apenas que "concedeu parcial provimento ao recurso" deste arguido.

Em 21 de julho de 2014, o tribunal de Gaia condenou a penas de 25 anos de prisão os três envolvidos no tiroteio de outubro de 2013 num bar do Cais de Gaia, que resultou na morte de um 'barman' de 26 anos.

Os juízes deram como provada a acusação do Ministério Público, deduzida a 01 de abril, que lhes imputava crimes de homicídio qualificado na forma consumada e de tentativa de homicídio qualificado.

Os três arguidos ficaram também condenados ao pagamento de indemnizações de 80 mil euros para os familiares da vítima mortal e 25 mil euros para as vítimas de tentativa de homicídio.

Os factos remontam a 05 de outubro de 2013. Na altura, um jovem morreu e outro ficou ferido após serem baleados, quando se encontravam no bar no Cais de Gaia, no qual trabalhavam, no momento em que o estabelecimento se preparava para fechar.

Um deles foi encontrado já sem vida, atingido por vários tiros, tendo sido transportado para o Instituto de Medicina Legal do Porto. O outro, irmão da vítima mortal, apresentava "seis perfurações no corpo" e foi socorrido no local.

Quatro dias depois a Polícia Judiciária anunciava a detenção, e prisão preventiva, de dois homens (de 22 e 31 anos) suspeitos da prática dos crimes.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.