sicnot

Perfil

País

Relação reduz para 22 anos a pena de prisão a um dos homicidas do Cais de Gaia

O Tribunal da Relação do Porto reduziu de 25 para 22 anos a pena de prisão decidida em primeira instância a um dos três arguidos no processo conhecido por "homicídio do Cais de Gaia".

De acordo com a informação disponibilizada hoje na página de Internet da Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto, aos restantes foi confirmada, na íntegra, a decisão recorrida, mantendo a pena de 25 anos de prisão a que foram condenados.

A nota da PGD não especifica as razões que determinaram a redução de uma das penas, referindo apenas que "concedeu parcial provimento ao recurso" deste arguido.

Em 21 de julho de 2014, o tribunal de Gaia condenou a penas de 25 anos de prisão os três envolvidos no tiroteio de outubro de 2013 num bar do Cais de Gaia, que resultou na morte de um 'barman' de 26 anos.

Os juízes deram como provada a acusação do Ministério Público, deduzida a 01 de abril, que lhes imputava crimes de homicídio qualificado na forma consumada e de tentativa de homicídio qualificado.

Os três arguidos ficaram também condenados ao pagamento de indemnizações de 80 mil euros para os familiares da vítima mortal e 25 mil euros para as vítimas de tentativa de homicídio.

Os factos remontam a 05 de outubro de 2013. Na altura, um jovem morreu e outro ficou ferido após serem baleados, quando se encontravam no bar no Cais de Gaia, no qual trabalhavam, no momento em que o estabelecimento se preparava para fechar.

Um deles foi encontrado já sem vida, atingido por vários tiros, tendo sido transportado para o Instituto de Medicina Legal do Porto. O outro, irmão da vítima mortal, apresentava "seis perfurações no corpo" e foi socorrido no local.

Quatro dias depois a Polícia Judiciária anunciava a detenção, e prisão preventiva, de dois homens (de 22 e 31 anos) suspeitos da prática dos crimes.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.