sicnot

Perfil

País

Entregou-se à PSP condutor que abandonou viatura após acidente grave em Lisboa

O condutor que abandonou hoje o veículo ligeiro após ter chocado com um autocarro, provocando a morte do motorista, no cruzamento entre a Avenida da República e a de Berna, em Lisboa, entregou-se às autoridades.

SIC

Segundo fonte do Comando Metropolitano da PSP, o homem entregou-se hoje na Divisão de Trânsito de Lisboa, cerca das 8:15, sem avançar mais pormenores acerca da idade do mesmo ou se este conduzia ou não sobre efeito de álcool.

O condutor do autocarro da Carris morreu, depois de projetado devido ao embate, e seis passageiros ficaram feridas hoje de madrugada, pelas 4:47, na sequência de um acidente entre um veículo ligeiro e o transporte público, no cruzamento entre as avenidas da República e de Berna, em Lisboa, segundo a PSP.

"A vítima mortal é o condutor do autocarro, que foi projetado para a via pública. Os seis feridos ligeiros são passageiros do autocarro", referiu a mesma fonte, acrescentando que os ocupantes do veículo ligeiro abandonaram a viatura no local, colocando-se em fuga.

Os feridos foram transportados ao hospital.

O trânsito no sentido Entrecampos-Saldanha, no túnel da Avenida da República, em Lisboa esteve interrompido devido à limpeza das faixas de rodagem, sendo restabelecido pelas 7:45.

Lusa

  • Chuva, vento, granizo e neve em 13 distritos
    1:42

    País

    Treze distritos do continente estão sob aviso amarelo de mau tempo, com previsão de chuva, granizo e neve. O vento forte também se faz sentir nos distritos de Beja, Faro e Setúbal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.