sicnot

Perfil

País

Maria de Belém deseja que executivo liderado por Costa seja "capaz"

A candidata presidencial Maria de Belém Roseira expressou hoje o desejo de que o Governo liderado por António Costa seja "capaz" e considerou que com a aceitação do presidente da República da lista ministerial "fica resolvido um problema".

(aquivo SIC)

(aquivo SIC)

Em Barcelos, à margem de série de visitas a instalações da Santa Casa da Misericórdia, a ex-ministra da saúde socialista afirmou estar satisfeita e desejou as "melhores felicidades" ao novo Governo, que toma posse na quinta-feira, realçando que isso também é bom para Portugal.

Questionada pelos jornalistas sobre o que espera do novo Governo respondeu: "Que seja capaz. É fundamental que nós consigamos ultrapassar esta situação, que consigamos criar condições de empregabilidade para quem está desempregado, que consigamos também fortalecer a capacidade de afirmação das nossas empresas para que criem emprego e o grande desejo que eu tenho é que se comecem a criar oportunidades para as pessoas que emigraram possam regressar ao país".

Maria de Belém considerou ainda que com a tomada de posse fica resolvida a questão da ausência de Governo, uma situação "que é muito difícil nas circunstâncias atuais", sobretudo impeditivo de se ter uma perspetiva de futuro e de cumprimento das obrigações a nível europeu.

"Desejo as maiores felicidades ao novo Governo porque as felicidades do Governo serão para o bem do país", realçou, desejando que agora o "país possa entrar num caminho de construção de um futuro melhor e sobretudo na melhoria das condições de vida das pessoas".

As eleições presidenciais estão marcadas para 24 de janeiro.

Esta manhã Cavaco Silva aceitou a lista de ministros apresentada por António Costa, indigitado primeiro-ministro na terça-feira, estando marcada para quinta-feira a tomada de posse do novo Governo.

Lusa

  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de três armas da PSP, recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avança hoje que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.