sicnot

Perfil

País

Novo governo prevê revisão da lei sobre requalificação da função pública

O primeiro despedimento de funcionários na requalificação deveria acontecer já no início do próximo ano, mas o novo Governo prepara-se para alterar a lei. De acordo com a imprensa de hoje, o Executivo de António Costa já chegou a acordo com o PCP e com o Bloco de Esquerda para revogar a lei que substituiu a mobilidade especial e que colocou os funcionários públicos considerados excedentários na inatividade, com quase metade do salário.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

De acordo com a Direção-Geral da Administração e do Emprego Público existiam 845 trabalhadores nesta situação no 3º trimestre deste ano. Menos 30% que em junho e 20% que em setembro no ano passado.

A lei da requalificação completa amanhã 2 anos mas só em fevereiro é que começou a ter efeitos práticos. Por esse motivo, no início do próximo ano poderiam começar a ser dispensados os primeiros funcionários públicos, entre os mais de 600 trabalhadores da Segurança Social que começaram por ser colocados neste regime de requalificação que, ao contrário da mobilidade, prevê o despedimento definitivo de todos os contratos anteriores a 2009.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.