sicnot

Perfil

País

Ministério da Administração Interna quer inquérito no acidente da A12

última hora

O Ministério da Administração Interna ordenou à Proteção Civil a abertura do inquérito a propósito do choque em cadeia de ontem na A12, para apuramento de responsabilidades pela demora na assistência a uma condutora que acabou por morrer.

"Por indicação do secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, foi pedido ontem [quarta-feira] ao presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, major-general Francisco Grave Pereira, que fosse aberto um inquérito para que se apurem as circunstâncias em que foi prestado o socorro no acidente ocorrido na A12", disse à agência Lusa, fonte oficial do MAI.

Segundo a mesma fonte, a decisão foi tomada após informações sobre a possível demora na assistência à única vítima mortal, uma mulher de 55 anos, que só terá sido encontrada pelas autoridades no meio dos destroços mais de duas horas depois do choque em cadeia, ocorrido na manhã de quarta-feira, logo após as portagens do Pinhal Novo, na direção da Ponte Vasco da Gama, no sentido Setúbal/Lisboa.

EM ATUALIZAÇÃO/Com Lusa

  • Um morto e 15 feridos no choque em cadeia na A12
    2:18

    País

    Uma pessoa morreu e 15 ficaram feridas, três delas com gravidade, num violento acidente em cadeia que ocorreu esta manhã na A12, logo a seguir às portagens de Pinhal Novo. O acidente envolveu 15 viaturas ligeiras e um autocarro. Uma das vítimas só foi descoberta dentro de um carro mais de duas horas depois.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15