sicnot

Perfil

País

Passos Coelho diz que novo Governo deve mostrar "aquilo que vale"

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, disse esta sexta-feira, na Guarda, que, é preciso que o novo Governo liderado por António Costa "mostre aquilo que vale", mas alerta que o seu partido estará pronto "para qualquer eventualidade".

O líder nacional do PSD e ex-primeiro-ministro falava na Guarda, onde presidiu às cerimónias oficiais dos 35 anos da morte do antigo primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro.

O líder nacional do PSD e ex-primeiro-ministro falava na Guarda, onde presidiu às cerimónias oficiais dos 35 anos da morte do antigo primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro.

MIGUEL PEREIRA DA SILVA / Lusa

"Agora, é preciso que o novo Governo governe e mostre aquilo que vale e beneficie de condições de estabilidade. Que não haja nenhuma desculpa", afirmou Passos Coelho.

O líder nacional do PSD e ex-primeiro-ministro falava na Guarda, onde presidiu às cerimónias oficiais dos 35 anos da morte do antigo primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, num acidente de avião, e de abertura da Academia do Poder Local, organizada pelo PSD e pelos Autarcas Social-Democratas.

O ex-governante reafirmou que as "reivindicações por eleições [legislativas] terminaram no dia em que o Partido Socialista (PS) se recusou a devolver a palavra ao povo e em respeitar a decisão e a escolha que o povo teve nas eleições".

"Agora, que está no Governo, que governe. É isso que eu espero e nós faremos aquilo que nos compete: preparar um futuro Governo para quando o país precisar dele", acrescentou.

Passos Coelho desejou ainda que o país "precise o mais tarde possível" de novas eleições legislativas.

"Porquê? Porque isso significaria que o país não andaria muito para trás e que o Governo que agora começa a governar não estragará muito aquilo que foi o caminho de recuperação que nós deixámos para a nossa economia, para o emprego, para a sociedade", justificou.

O presidente do PSD deixou ainda claro que o seu partido estará pronto para "qualquer eventualidade" que possa surgir.

"Se o país precisar de nós, nós estaremos cá sempre que for preciso", garantiu.

Na mesma sessão, o presidente dos Autarcas Social-Democratas (ASD) e da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, disse que, se o fundador do PSD Francisco Sá Carneiro fosse vivo, diria que o legado político "está a ser bem seguido", mas "não compreenderia" o novo Governo liderado por António Costa.

"Como nós não compreendemos. Como a grande parte dos portugueses não compreende", acrescentou.

Álvaro Amaro observou que o Governo "é constitucional", foi "aprovado na Assembleia [da República]" e tem "plenos poderes", mas, em sua opinião, "não tem a legitimidade política".

"Tem a legitimidade formal, mas não tem a legitimidade política", vincou.

A Academia do Poder Local, organizada pelo PSD e pelos ASD, decorre até domingo na cidade da Guarda, com 71 participantes de todo o país, com idades entre os 24 e os 65 anos.

Segundo a organização, os participantes "são autarcas, na sua maioria, mas também não autarcas que querem saber mais sobre o poder local".

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.