sicnot

Perfil

País

Iniciativa de apoio aos refugiados promovida pelo FC Porto juntou 1,3 M€

A Associação Europeia de Clubes (ECA) reuniu 1,3 milhões de euros na iniciativa promovida pelo FC Porto de apoio aos refugiados e a verba será canalizada agora à UNICEF e Save the Cildren, anunciou hoje o clube portista.

© Yannis Behrakis / Reuters

"Esta iniciativa foi desencadeada pelo FC Porto, que contribuiu com 46.200 euros para esta causa, um euro por cada espectador no jogo com o Chelsea que se disputou no Estádio do Dragão [Liga dos Campeões]", refere o FC Porto na sua newsletter diária.

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, tinha enviado uma carta à UEFA a 04 de setembro, anunciando que o clube iria doar um euro por cada bilhete vendido no jogo 'caseiro' da segunda jornada da 'Champions' frente ao Chelsea, convidando os restantes emblemas a ajudar os migrantes.

Dois dias depois de esta missiva de Pinto da Costa, a ECA, por intermédio do seu presidente, o alemão Karl-Heinz Rummenigge, anunciou que todos os clubes participantes na Liga dos Campeões e na Liga Europa iam doar um euro por cada bilhete vendido no seu primeiro jogo 'europeu' em casa.

Rummenigge acrescentou na altura que esta tinha sido uma resposta unanime ao convite lançado pelo FC Porto.

Integram a ECA cinco clubes portugueses: Benfica, FC Porto (que disputam a Liga dos Campeões), Sporting, Sporting de Braga (ambos na Liga Europa) e Marítimo (fora das competições europeias esta época).

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.