sicnot

Perfil

País

Cavaco Silva homenageia em Belém três personalidades da diáspora portuguesa

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, condecorou esta tarde no Palácio de Belém com vários graus honoríficos Ronald DePinho, António Pargana e Pedro Gadanho, três personalidades da diáspora portuguesa que se têm destacado nas respetivas áreas profissionais.

Miguel A.Lopes

Ronald DePinho, agraciado com a insígnia de comendador da Ordem Militar de Sant'Iago de Espada, é presidente do Centro de Cancro MD Anderson da universidade do Texas, em Houston, Estados Unidos, desde setembro de 2011. O centro é internacionalmente reconhecido pela pesquisa fundamental e transnacional em cancro.

António Pargana é acionista de várias empresas e tem atuado na área do comércio externo desde 1975. Em 1994 fundou a Cisa Trading S.A., uma das maiores empresas de comércio internacional do Brasil, e hoje recebeu a insígnia de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Pedro Gadanho, condecorado com o grau de comendador da Ordem do Infante D. Henrique, é arquiteto, curador e escritor. Esteve estabelecido vários anos em Nova Iorque, onde assumiu o cargo de curador para Arquitetura Contemporânea no Departamento de Arquitetura e Design do Museu de Arte Moderna (MoMa) em Nova Iorque, tendo regressado a Portugal para assumir as funções de diretor de programação do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) da Fundação EDP.

Os três condecorados encontram-se em Portugal para participarem no Conselho de Diáspora, que decorre na terça-feira.

Na apresentação da cerimónia, e na presença de familiares e representantes das Casas civil e militar da presidência, Cavaco Silva destacou, individualmente, as origens portuguesas dos três galardoados e o seu contributo para o país.

"António Pargana, um algarvio como eu e que não esquece as suas raízes (...) não investe apenas no Brasil, investe também em Portugal, na sua terra natal, onde tudo começou", referiu a propósito e numa referência particular ao seu conterrâneo, antes de destacar a sua contribuição "para o prestígio de Portugal além-fronteiras".

Em resposta, e após a entrega das insígnias respetivas, os três membros do Conselho da Diáspora fizeram breves discursos, com o presidente do Centro de Cancro MD Anderson, que se exprimiu em inglês, a manifestar o orgulho de ser filho de imigrantes portugueses nos EUA, provenientes da região de Ovar, e a sublinhar que, após o "espírito pioneiro" dos portugueses que "descobriram os mistérios da terra" na saga dos descobrimentos, "hoje os grandes mistérios são os da saúde e biologia, e reconheço-me na minha herança portuguesa como um investigador dos mistérios da biologia" e que interessam à humanidade.

O empresário António Pargana optou por citar Fernando Pessoa, "Deus quer, o Homem sonha, a Obra nasce" e recordou ter "exultado" aos 25 anos com a "revolução dos Cravos" e depois ter-se visto aos 26 anos sem emprego "e sem vislumbrar o futuro", numa breve alusão introdução ao seu percurso posterior, primeiro em África e depois no Brasil, onde vive há 40 anos.

"A diáspora portuguesa é uma força que pode contribuir muito para o desenvolvimento económico e social de Portugal e da sua gente (...) pode ajudar a criar estratégias para que as empresas portuguesas penetrem com sucesso nos mais diferentes mercados, pode participar nos investimentos em Portugal e qualquer governo português deveria colocar como seu objetivo permanente atraí-la para essa missão", defendeu.

Na última intervenção, Pedro Gadanho destacou ter regressado a Portugal "com o sentido de que poderia continuar a fazer cá aquilo que sempre tentou fazer nos lugares pode onde passou". O arquiteto desejou ainda que este seu regresso "possa acontecer para muitos mais a seguir a mim".

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC