sicnot

Perfil

País

Assunção Cristas percorre país para escrever moção ao 26º Congresso do CDS-PP

Assunção Cristas inicia na terça-feira uma volta pelo país para dar a conhecer a sua candidatura à liderança do CDS-PP e ouvir a sensibilidade de militantes e simpatizantes para a construção da sua moção ao 26.º Congresso.

"O objetivo é ir ao encontro dos militantes para lhes dar conhecimento pessoal e direto dos objetivos da candidatura e, mais importante do que isso, ouvir a sensibilidade do partido relativamente às prioridades temáticas. Só fecharei esta moção depois desta volta", disse à Lusa Assunção Cristas.

A candidata à presidência do CDS sublinhou que as sessões da volta designada "unidos para vencer" - que começam no distrito da sua circunscrição eleitoral, Leiria -, não são apenas abertas a militantes, apesar de o canal de comunicação ser a estrutura do partido.

"A ideia é que um militante possa levar alguém", declarou Assunção Cristas, contando que tem sentido muitas pessoas fora do partido interessadas no pensamento dos centristas.

Assunção Cristas também irá receber contributos através de uma página na rede social Facebook, que será criada para o efeito nos próximos dias.

A candidata quer uma moção sintética: "Procurarei que seja bastante comedida do ponto de vista do tamanho. É uma moção que quero que seja lida, e portanto não deverá ser de tal forma exaustiva e detalhada, mas focada nas prioridades que mais preocupam as pessoas".

"Depois, é trabalho para o CDS desenvolver pelo gabinete de estudos, pelo grupo parlamentar. Nesta fase, não tenciono ter um nível de detalhe muito grande", acrescentou.

A volta pelo país começa na terça-feira em Leiria, na quarta-feira haverá uma sessão em Lisboa, na quinta-feira em Setúbal, na sexta-feira em Torres Vedras, estando previstas sessões em toda zona a norte durante o próximo fim de semana, passando por Vila Real, Ponte de Lima, Ponte de Lima, Braga, Bragança, e Macedo de Cavaleiros.

No dia 1 de fevereiro Assunção Cristas viaja até à Madeira, dia 3 estará em Santarém, dia 4 em Faro, dia 5 em Castelo Branco, e no fim de semana que começa no dia 6 torna a ter uma agenda mais preenchida, passando por Coimbra, Aveiro, Viseu, Beja e Évora.

No dia 9 haverá uma sessão em Portalegre e no dia 12 nos Açores, na Ilha Terceira. As datas e locais desta volta pelo país ainda podem sofrer alterações.

O 26.º Congresso do CDS-PP realiza-se nos dias 12 e 13 de março em Gondomar, distrito do Porto, e elege o sucessor de Paulo Portas, que se tornou presidente do partido pela primeira vez em 1998, no Congresso de Braga, tendo estado ausente da direção dos centristas apenas dois anos, entre 2005 e 2007 (presidência de José Ribeiro e Castro).

A corrente interna Direita Social já anunciou que também apresentará uma candidatura à liderança.

O prazo para apresentação das moções ao Congresso termina no dia 26 de fevereiro às 00:00.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.