sicnot

Perfil

País

Buscas de pescadores desaparecidos em Vigo continuam por mar, terra e ar

As buscas para encontrar os pescadores português e espanhol cujo barco naufragou na sexta-feira ao largo de Vigo foram retomadas hoje com meios marítimos, aéreos e terrestres, disse à Lusa fonte do Centro Nacional de Salvamento Marítimo de Madrid.

reuters

Segundo a fonte, no mar estão empenhadas cinco embarcações do Salvamento Marítimo, da Junta da Galiza e da Guardia Civil.

Àqueles meios juntam-se, por ar, três helicópteros da Polícia Nacional, da Junta da Galiza e do Salvamento Marítimo.

A mesma fonte adiantou que as buscas decorrem hoje ao largo das ilhas Cíes, a sul do Cabo Silleiro, e daí até Baiona, em Pontevedra, na Galiza.

"Até final da semana esperamos poder contar com o apoio de uma equipa de mergulhadores", adiantou a fonte do Salvamento Marítimo.

Em terra, adiantou, estão envolvidos agentes da Guardia Civil e da Polícia Nacional espanhola.

O último contacto registado com a embarcação, de nome 'Látigo' e que estava na pesca de robalos, aconteceu na sexta-feira às 18:30, decorrendo desde então buscas, com meios aéreos e marítimos, para tentar localizar os pescadores.

No sábado, foi avistada a proa do barco naufragado a cerca de 300 metros do farol da entrada sul das ilhas Cíes, mas as condições marítimas impediram os meios de socorro de se aproximarem da embarcação, que se encontra numa zona de mar revolto.

Segundo adiantou nesse dia à Lusa uma fonte do Salvamento Marítimo de Vigo, o helicóptero avistou ainda no mar "um sapato e um colete salva-vidas".

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combnate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.