sicnot

Perfil

País

Três em cada quatro menores nem sempre dormem o suficiente

Um estudo da Universidade do Minho concluiu que 72% dos menores dormem sete a nove horas por noite, o que "nem sempre é suficiente" e pode estar associado a sintomas como desmotivação, ansiedade ou obesidade, revelou a instituição minhota.

Arquivo

Arquivo

Reuters

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a Universidade do Minho (UMinho) adianta que a investigação, envolvendo meio milhar de alunos com idades entre os 9 e os 17 anos e que esteve a cargo da investigadora Olinda Oliveira, concluiu ainda que a presença de aparelhos multimédia no quarto é "um dos fatores que mais retarda a hora de deitar".

Segundo revela o estudo, "Influência da Qualidade do Sono na Saúde, no Comportamento e na Aprendizagem Escolar de Alunos de 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico", mais de sete em cada dez inquiridos afirmaram ter televisão no quarto, seguindo-se do computador, aparelho de música e internet (55,8%) e o meio rural "favorece" períodos de descanso mais longos.

"A necessidade cada vez maior de privacidade por parte das crianças e adolescentes leva os pais a colocarem vários aparelhos eletrónicos nos quartos dos filhos, propiciando hábitos de sono pouco saudáveis", refere a autora, professora do ensino básico.

O estudo, que cita a Fundação Nacional do Sono dos EUA, revela que "os alunos com quatro ou mais itens eletrónicos nos quartos têm quase o dobro da probabilidade de adormecer na escola e/ou enquanto fazem os trabalhos de casa".

Os resultados mostram que mais de metade dos 502 inquiridos admite sentir, "às vezes", distração havendo ainda outros sintomas que mesmo não sendo manifestados pela maioria surgem com alguma frequência: mudanças de humor (198), ansiedade (195), bocejo constante (185), agitação (166), desmotivação (160), olheiras (141), irritabilidade (129), pequenos acidentes (118), muita tristeza (114) e fadiga muscular (100).

A investigação aponta ainda que o local de residência pode igualmente influenciar a qualidade do sono dos estudantes sendo eu aqueles que vivem em meios rurais tendem a ter períodos de sono mais tranquilos e deitam-se mais cedo durante a semana (21.00-22.00) e ao fim de semana (23.00-24.00).

"Esta mudança nos padrões do sono que pode ter efeitos negativos nos processos de desenvolvimento, no progresso psicossocial e na performance académica dos mais novos", esclarece Olinda Oliveira.

Lusa

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Ronaldo dispensado da seleção para ir conhecer os filhos

    Taça das Confederações

    A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou em comunicado que Cristiano Ronaldo foi dispensado da Taça das Confederações "para que possa conhecer os seus filhos". Numa mensagem no Facebook, o jogador mostrou-se sensibilizado com a decisão da Federação, acrescentando ainda que está "muito feliz por poder, finalmente, estar com os (...) filhos pela primeira vez".

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".

  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25