sicnot

Perfil

País

Começa julgamento de homem acusado de matar quatro pessoas

O homem acusado de matar quatro pessoas a tiro - ex-mulher, ex-sogros e enteado - na Póvoa de Varzim, distrito do Porto, em abril de 2015, começa hoje a ser julgado no Tribunal de Matosinhos.

(Arquivo/SIC)

(Arquivo/SIC)

SIC

De acordo com a acusação do Ministério Público, citada numa nota da Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto, o arguido armou-se "com uma pistola e com um revólver carregados, assim como com várias munições de reserva, dirigiu-se à Rua Comendador Araújo, na Estela, Póvoa de Varzim, à casa onde a sua anterior companheira vivia com os pais, e abateu-os a tiro, bem como a um filho que aquela tinha de uma anterior relação".

As quatro mortes ocorreram na sequência de "conflitos com a posse de terrenos e o recebimento das respetivas rendas" entre o alegado homicida e uma das vítimas.

O alegado homicida estava separado da ex-mulher há cerca de ano e não aceitava o fim da relação, nem o facto de esta ter um novo companheiro.

O crime aconteceu dia 28 de abril de 2015, por volta das 09:00, e as quatro vítimas tinham idades entre os 23 e 70 anos.

Ao arguido, em prisão preventiva desde o dia 29 de abril -- data em que foi detido na A3, em Valença, a dois quilómetros da fronteira espanhola, depois de se despistar -- estão imputados quatro crimes de homicídio qualificado, três crimes de ameaça agravada, um crime de detenção de arma proibida e um crime de uso e porte de arma sob efeito de álcool.

Lusa

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06

    País

    A SIC teve acesso a comunicações entre operacionais que estavam no terreno a combater os incêndios no distrito de Viseu. Nestes registos áudio, é percetível a falta de meios no terreno ou até mesmo estradas que não foram cortadas porque não havia elementos da GNR disponíveis.

  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47