sicnot

Perfil

País

Indiano Paramjeet Singh saiu em liberdade da prisão de Beja

O cidadão indiano Paramjeet Singh, que tinha sido detido no Algarve, em dezembro de 2015, saiu hoje, cerca das 16:30, da prisão de Beja, em liberdade, e, segundo o advogado, vai regressar a Londres no domingo.

(Arquivo/SIC)

(Arquivo/SIC)

SIC

Paramjeet Singh foi libertado hoje por ordem do Tribunal da Relação de Évora, após a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, ter decidido não aceitar o pedido de extradição do indiano para a República da Índia.

"Estou a sentir-me bem, a experiência em Portugal foi má, fui detido aqui sem razão, mas finalmente obtive justiça. Muito obrigado a Portugal e aos meus advogados", disse Paramjeet Singh aos jornalistas à saída da prisão de Beja e após ter feito, juntamente com membros da Comunidade Sihk de Portugal, uma oração para agradecer a Deus a sua libertação.

Em declarações à agência Lusa, o advogado de Paramjeet Singh, Manuel Luís Ferreira, disse que o cidadão indiano irá regressar a Londres, no Reino Unido, no domingo de manhã.

Manuel Luís Ferreira congratulou-se com a "decisão inédita" e "corajosa" da ministra da Justiça portuguesa, assinalando tratar-se de "um virar de página" em termos de cultura judiciária.

"A ministra (Francisca Van Dunem) teve a coragem política de enfrentar tudo e todos em prol dos princípios, direitos, liberdades e garantias plasmados na ordem jurídica interna portuguesa", disse o advogado.

A decisão da ministra de não aceitar o pedido de extradição põe termo ao processo, permitindo o regresso ao Reino Unido do alegado separatista indiano Paramjeet Sing, ativista sihk conhecido por "Pamma", que tinha sido detido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, num hotel, no Algarve, a 18 de dezembro de 2015, ao abrigo de um mandado de detenção internacional para extradição emitido pela Interpol.

Recentemente, a comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais decidiu enviar para a ministra da Justiça uma petição pedindo que Paranjeet Singh não fosse extraditado para a Índia.

Segundo a polícia, "Pamma" tem cadastro desde 1992, por crimes menores e é apontado como dirigente de grupos que as autoridades da Índia classificam de terroristas.

Após abandonar a Índia, em 1994-95, esteve no Paquistão numerosas vezes e tornou-se o principal financiador do movimento Babbar Khalsa International (BKI), considerado um grupo terrorista pela Índia.

Mais tarde, "Pamma" aliou-se ao chefe do movimento "Tiger Force", Jagtar Singh Tara, com ligações a grupos armados sediados no Paquistão.

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.