sicnot

Perfil

País

Indiano Paramjeet Singh saiu em liberdade da prisão de Beja

O cidadão indiano Paramjeet Singh, que tinha sido detido no Algarve, em dezembro de 2015, saiu hoje, cerca das 16:30, da prisão de Beja, em liberdade, e, segundo o advogado, vai regressar a Londres no domingo.

(Arquivo/SIC)

(Arquivo/SIC)

SIC

Paramjeet Singh foi libertado hoje por ordem do Tribunal da Relação de Évora, após a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, ter decidido não aceitar o pedido de extradição do indiano para a República da Índia.

"Estou a sentir-me bem, a experiência em Portugal foi má, fui detido aqui sem razão, mas finalmente obtive justiça. Muito obrigado a Portugal e aos meus advogados", disse Paramjeet Singh aos jornalistas à saída da prisão de Beja e após ter feito, juntamente com membros da Comunidade Sihk de Portugal, uma oração para agradecer a Deus a sua libertação.

Em declarações à agência Lusa, o advogado de Paramjeet Singh, Manuel Luís Ferreira, disse que o cidadão indiano irá regressar a Londres, no Reino Unido, no domingo de manhã.

Manuel Luís Ferreira congratulou-se com a "decisão inédita" e "corajosa" da ministra da Justiça portuguesa, assinalando tratar-se de "um virar de página" em termos de cultura judiciária.

"A ministra (Francisca Van Dunem) teve a coragem política de enfrentar tudo e todos em prol dos princípios, direitos, liberdades e garantias plasmados na ordem jurídica interna portuguesa", disse o advogado.

A decisão da ministra de não aceitar o pedido de extradição põe termo ao processo, permitindo o regresso ao Reino Unido do alegado separatista indiano Paramjeet Sing, ativista sihk conhecido por "Pamma", que tinha sido detido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, num hotel, no Algarve, a 18 de dezembro de 2015, ao abrigo de um mandado de detenção internacional para extradição emitido pela Interpol.

Recentemente, a comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais decidiu enviar para a ministra da Justiça uma petição pedindo que Paranjeet Singh não fosse extraditado para a Índia.

Segundo a polícia, "Pamma" tem cadastro desde 1992, por crimes menores e é apontado como dirigente de grupos que as autoridades da Índia classificam de terroristas.

Após abandonar a Índia, em 1994-95, esteve no Paquistão numerosas vezes e tornou-se o principal financiador do movimento Babbar Khalsa International (BKI), considerado um grupo terrorista pela Índia.

Mais tarde, "Pamma" aliou-se ao chefe do movimento "Tiger Force", Jagtar Singh Tara, com ligações a grupos armados sediados no Paquistão.

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.