sicnot

Perfil

País

Carlos Martins vai manter-se à frente do Hospital de Santa Maria

O presidente do Hospital de Santa Maria, Carlos Martins, vai continuar a ocupar o lugar de presidente do Conselho de Administração daquela unidade de saúde, revelou hoje o gabinete do ministro.

Hospital de Santa Maria, em Lisboa. (Arquivo)

Hospital de Santa Maria, em Lisboa. (Arquivo)

Carlos Martins tinha colocado o lugar à disposição em dezembro - quando um jovem morreu com um aneurisma roto no hospital de São José, alegadamente por falta de assistência -, por ter sido informado de que o hospital a que presidia recusou receber aquele doente.

O Minsitério da Saúde fez hoje saber que reconduziu Carlos Martins no cargo.

Este responsável explicou em janeiro, durante uma comissão parlamentar de Saúde, que pôs imediatamente o lugar à disposição quando foi contactado pelo ministro, que lhe disse que "o presidente da Administração Regional de Saúde se demitiu e que havia outras duas pessoas na mesma situação", na sequência do caso de David Duarte, que morreu na madrugada de 14 de dezembro após ter dado entrada no São José com um aneurisma roto.

O presidente do conselho de administração do Hospital de Santa Maria entendeu então deixar total liberdade ao ministro para tomar as medidas que entendesse necessárias, até porque, na altura, os dados que tinha "eram de que Santa Maria tinha sido acionado e não tinha respondido".

Carlos Martins terá tomado por boa essa informação, mas o diretor de serviço informou-o entretanto de "que Santa Maria não tinha sido acionado", facto de que o presidente do Conselho de Administração disse ter provas.

"De acordo com o relatório que solicitei, não temos nenhum registo de falha neste período de tempo, nenhum registo de morte ou recusa de qualquer profissional de comparecer no hospital em caso de necessidade. É essa a prática, diria que quase corrente, em Santa Maria", afirmou então aos deputados.

Lusa

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Costa alerta para "condições particularmente adversas"
    1:47

    País

    O primeiro-ministro alertou para a possibilidade de novos incêndios de grandes dimensões, muito por causa da situação de seca que grande parte do território atravessa. António Costa pediu aos portugueses um "particular cuidado com todos os comportamentos de risco".

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.