sicnot

Perfil

País

Investigadores portugueses criam protótipo para monitorização oceânica

Investigadores portugueses estão a desenvolver um sistema autónomo para monitorizar os diferentes componentes dos oceanos e verificar as alterações na biodiversidade, os impactos no clima e as anomalias ambientais, o que vai permitir uma gestão sustentável desses recursos.

© Ricardo Moraes / Reuters

Em declarações à Lusa, a investigadora do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), Catarina Magalhães, explicou que o protótipo multitrófico MarinEye é uma nova abordagem de observação para compreender "a complexidade dos processos de interação físicos, químicos e biológicos que influenciam a estabilidade dos oceanos".

"A vida no planeta está dependente de processos oceânicos, uma vez que são eles que produzem grande parte do oxigénio disponível na Terra, regulam o clima e fornecem vários recursos vivos e não vivos, como alimentos, energia, transporte ou medicamentos", acrescenta Catarina Magalhães, que lidera a investigação.

Este projeto divide-se em quatro módulos, nos quais é possível observar e interpretar componentes oceânicos físicos, químicos, bioquímicos e biológicos ao mesmo tempo, em diferentes níveis tróficos, desde microrganismos a mamíferos marinhos, através da utilização de tecnologia avançada, lê-se em comunicado.

O primeiro módulo dedica-se à medição de parâmetros como a temperatura, a salinidade, o oxigénio dissolvido, o pH (indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma solução aquosa), entre outros, através de um sistema de sensores físico-químicos, e à mediação de dióxido de carbono dissolvido, recorrendo a uma plataforma de sensores óticos.

O módulo seguinte é composto por um sistema de filtração autónomo, desenhado para filtrar água, que retém e preserva no filtro o DNA (informação genética) de diferentes classes de tamanho das comunidades de microrganismos que habitam e representam a maior biomassa dos oceanos.

No terceiro módulo vão ser recolhidas imagens de fito e zooplâncton, para avaliar a sua quantidade e biodiversidade, com recurso a um sistema de imagem de alta resolução.

A última fase é destinada à recolha de dados hidroacústicos para obter informação relativa à presença de mamíferos marinhos e estimativas de quantidades de peixes, através de um sistema de acústica.

Para a criação do protótipo MarinEye vão ser conjugados os módulos e os dados obtidos nas diferentes etapas, num sistema integrado autónomo, ao qual vai estar associado um software para visualizar e sumariar os dados bem como desenvolver uma série de modelos para integração e identificação inter-relações entre os diferentes parâmetros.

"O tipo e a quantidade de informação que o MarinEye vai possibilitar aceder, poderá ser uma base para a construção de um sistema de gestão dos recursos marinhos mais eficiente, assegurando assim a proteção deste meio para as gerações presentes e futuras", mostra Eduardo Silva, coordenador do Centro de Robótica e Sistemas Autónomos do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), que colabora no projeto.

A investigação conta ainda com a participação dos investigadores Antonina dos Santos, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e Sérgio Leandro, do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente - Politécnico de Leiria (MARE - IPLeiria).

O projeto foi iniciado em setembro de 2015 e termina em abril de 2017, tendo sido financiado pelo programa EEA Grants, em cerca de 400 mil euros.

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus pais e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.