sicnot

Perfil

País

Exercício físico ajuda doentes com Alzheimer a manterem-se autónomos

Investigadoras da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP) que estão a verificar os efeitos do exercício físico em pessoas com Alzheimer concluíram que os treinos ajudam os pacientes a manter autonomia nas atividades do dia-a-dia.

© Darren Staples / Reuters

Em depoimentos à Lusa, a investigadora Arnaldina Sampaio da FADEUP disse que "o objetivo do projeto é permitir aos doentes preservar e manter as capacidades do dia-a-dia, como vestirem-se sozinhos e ter força e equilíbrio suficiente para levantar e andar sem auxílio e de forma autónoma", por exemplo.

Outro dos propósitos é trabalhar os sintomas neuro-psiquiátricos (apatia e alucinações, por exemplo) que levam os doentes a serem encaminhados para instituições pelas pessoas que os tratam, os "cuidadores", que, na maior parte dos casos, não têm uma formação adequada para o fazer.

Para desenvolver o projeto "Exercício Físico, capacidade cognitiva, capacidade funcional e qualidade de vida de idosos com Alzheimer" Arnaldina Sampaio teve contacto com doentes de 15 instituições, em duas intervenções distintas.

Na primeira fase, que ocorreu em 2012 e teve a duração de seis meses, foram incluídos cerca de 30 doentes com Alzheimer, provenientes de instituições de Viseu, que realizaram atividades onde treinaram força, equilíbrio e flexibilidade.

Na segunda intervenção, em 2014, "já com a experiência da primeira", o estudo foi alargado para pessoas com diferentes tipos de demências e foram analisadas outras vertentes - como a capacidade funcional -, em cerca de 60 doentes de instituições de Ovar, de Viana do Castelo e da Lavra, também durante um semestre.

"As instituições são muito fechadas e encaram este tipo de tratamento aos doentes de Alzheimer como um tabu", afirma a investigadora, indicando que no Porto não conseguiu trabalhar com nenhuma instituição, tendo que se deslocar para as outras cidades do país onde as intervenções foram realizadas.

Todo o treino foi ajustado às características dos doentes, esclarece Arnaldina Sampaio, acrescentando que durante os exercícios foi utilizada uma linguagem adequada e que apelasse à memória, de forma a estimular a parte cognitiva.

O estudo conta também com a participação da investigadora Joana Carvalho, responsável pelo programa "Comunitário mais ativo, mais vivido", que fornece a idosos com mais de 65 anos aulas de exercício físico, duas a cinco vezes por semana, para trabalhar diferentes aspetos físicos e sociais, nas instalações da FADEUP.

Segundo Joana Carvalho, o projeto com os doentes com Alzheimer serve três propósitos: a investigação, a formação dos alunos (que trabalham com os idosos durante um ano) bem como servir a comunidade.

"Nós vemos que as pessoas estão a aumentar a esperança média de vida mas isso não vale de nada se não tiveram qualidade para o fazerem", finaliza Arnaldina Sampaio.

As investigadoras consideram que este tipo de procedimentos não-farmacológicos auxiliam na estabilização, mesmo que transitória, do declínio clínico e funcional do paciente e prevêem iniciar, em setembro, um programa de exercício físico para doentes com Alzheimer que ainda residam em suas casas e para os seus cuidadores, nas instalações da FADEUP.

Lusa

  • Bruno de Carvalho suspenso por mais 90 dias

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, foi suspenso por 90 dias na sequência de declarações proferidas numa entrevista televisiva em março, anunciou esta terça-feira o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

  • Benfica critica castigo de Samaris e vai recorrer

    Desporto

    O Benfica reagiu esta terça-feira ao castigo de três jogos aplicado ao grego Andreas Samaris, considerando que a decisão, da qual vai recorrer, é prova de que o futebol português está "entregue à instabilidade, à incoerência e à insegurança".

  • "Álvaro" viveu seis anos de maus tratos num casamento de oito
    5:06
  • Governo disposto a ceder a algumas reivindicações dos enfermeiros
    1:58

    Economia

    Os enfermeiros ameaçam voltar à greve se o Governo não lhes der um subsídio no valor de 400 euros. Esta terça-feira o Governo esteve reunido com dois dos quatro sindicatos. O Ministério diz estar disposto a ceder a algumas reivindicações, mas o ministro da Saúde fez saber que o aumento de 400 euros é incomportável. 

  • Como fazer fotos e vídeos menos tremidos
    8:43
  • Viajar a 110 km/h agarrado ao para-brisas de um comboio

    Mundo

    Um homem de 23 anos foi detido por viajar preso a um comboio - mais concretamente ao limpa para-brisas -, que atinge velocidades perto dos 110 quilómetros por hora, numa viagem entre as estações de Leederville e Glendalough, na Austrália.

  • Rapper quer provar que a terra é plana

    Mundo

    O rapper B.o.B. lançou uma campanha na plataforma GoFundMe para enviar satélites que possam comprovar que a Terra é redonda e azul. No ano passado, o norte-americano defendeu nas redes sociais que o planeta é plano.