sicnot

Perfil

País

Metro fechado entre Pontinha e Amadora Este este fim de semana

O troço do Metropolitano de Lisboa entre Pontinha e Amadora Este, na linha Azul, vai estar encerrado sábado e domingo para a conclusão dos trabalhos da nova estação da Reboleira, anunciou hoje a Transportes de Lisboa.

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

Lusa

Em comunicado, a holding que agrega a Carris, o Metro e a Transtejo indica que aquele troço vai estar encerrado em ambos os sentidos e que a circulação na linha Azul vai fazer-se apenas nos troços Santa Apolónia -- Pontinha.

Em alternativa, os passageiros do Metro podem utilizar os "autocarros da Carris ao serviço do Metropolitano de Lisboa, que efetuarão o percurso correspondente ao troço Pontinha-Amadora Este, com intervalos de cerca de 12 minutos", afirma a Transportes de Lisboa (TL).

"Nestes percursos e horários, serão aceites todos os títulos de transporte válidos no Metro", frisa a holding.

Os autocarros alternativos vão estar identificados com a informação "Ao serviço do Metro" e terão os seus pontos de paragem o mais próximo possível das estações Pontinha, Alfornelos e Amadora Este.

O prolongamento da linha Azul a partir da estação Amadora-Este, em cerca de 579 metros, "insere-se na estratégia de reforço da intermodalidade com a ferrovia e assegurará a ligação da Linha Azul com a linha de comboios de Sintra", explicou anteriormente a TL.

O valor global da estação da Reboleira é de cerca de 60 milhões de euros, revelou a TL, contabilizando o investimento da primeira fase, que também está abrangido por financiamento comunitário de 42,5 milhões do Fundo de Coesão, para despesas de 2007 a 2015.

A Linha Azul do Metro passará a ter a extensão de 13,7 quilómetros, com 18 estações entre a Reboleira e Santa Apolónia (Lisboa), estimando-se que a ligação à linha ferroviária de Sintra gere uma procura "de cerca de quatro milhões de passageiros/ano".

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20