sicnot

Perfil

País

Condenado a um ano de prisão por ser apanhado 10 vezes a conduzir sem carta

O Tribunal da Relação do Porto condenou a um ano de prisão efetiva um homem, de 31 anos, apanhado dez vezes a conduzir sem carta, entre 2004 e 2015.

(Arquivo)

(Arquivo)

O arguido, residente em Oliveira de Azeméis, tinha sido condenado pelo tribunal local a uma pena de 12 meses de prisão, a cumprir em 72 fins de semana, após a última vez que foi apanhado a conduzir sem carta, no dia 11 de junho de 2015.

Inconformado com a decisão, o Ministério Público recorreu para a Relação do Porto que decidiu que a pena de prisão aplicada deve ser cumprida efetivamente, atendendo ao facto de o arguido ser reincidente.

No acórdão, o Tribunal da Relação do Porto lembra que o arguido já contava com dez condenações anteriores, nove das quais pelo crime de condução de veículo sem habilitação legal e uma por um crime de condução em estado de embriaguez.

Em três desses processos foi condenado com multas e nos restantes foi condenado em penas de prisão - quatro vezes suspensa na sua execução, duas vezes substituída por trabalho a favor da comunidade e uma substituída por prisão por dias livres, a cumprir em 72 fins de semana.

"A prevenção geral não fica satisfeita quando alguém é condenado 10 vezes por crime condução sem habilitação legal, sempre em penas não privativas de liberdade ou em penas de substituição", lê-se no acórdão.

Os juízes desembargadores dizem ainda que o arguido revela "uma personalidade anti-jurídica espelhada nas condenações penais que já sofreu" e "não consegue ser fiel ao direito sem ajuda das instâncias formais de controlo e reação que estão a jusante dos tribunais".

Por tudo isto, o Tribunal concluiu que "o juízo de prognose é desfavorável à aplicação da pena de substituição", sustentando que "apenas a prisão contínua propicia ao condenado as necessárias condições de ressocialização".

O crime de condução sem carta é punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias.

Lusa

  • Tirar a carta vai ficar mais caro
    1:10

    País

    Tirar a carta de condução vai ficar mais caro. Passa a ser obrigatório os alunos percorrerem 500 quilómetros durante as aulas práticas e cresce também o número de horas das aulas de condução. As novas regras entraram em vigor esta semana.

  • Manual da "Carta por pontos" divulgado hoje, escolas preparam cursos

    País

    O novo manual da "Carta por pontos" é hoje apresentado em Moimenta da Beira. Entrará em vigor a 1 de junho de 2016 e vai permitir que os condutores evitem a apreensão da carta. As escolas de condução já estão a preparar as ações de formação que vão permitir aos condutores aumentarem os pontos da sua carta.

  • O dia em que o Brexit começa
    1:25

    Brexit

    A primeira-ministra britânica já assinou a carta que vai enviar ao Conselho Europeu para formalizar a vontade do Reino Unido de sair da União Europeia. O artigo 50.º do Tratado de Lisboa será ativado nas próximas horas. Na véspera, Theresa May recebeu da Escócia um novo contratempo político.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Governo vai dar mais meios à investigação criminal
    2:34

    País

    A ministra da Justiça garante que o Governo vai dar mais meios à investigação criminal, mas assegura que não vai mexer nos prazos dos inquéritos. A questão tem sido insistentemente levantada pela defesa de José Sócrates, que se queixa de que a Operação Marquês já ultrapassou todos os prazos.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.