sicnot

Perfil

País

Chuva, neve e descida da temperatura no fim-de-semana

O fim de semana vai ser marcado pela chuva, ocorrência de trovoadas, queda de neve e descida da temperatura máxima da ordem dos três a sete graus.

© Reuters Staff / Reuters

Em declarações à Lusa, a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) Ângela Lourenço disse que a "chuva começou a cair hoje na faixa costeira ocidental, no litoral oeste, devido à aproximação de uma superfície frontal fria.

"A precipitação vai continuar e evoluir do litoral para o interior. A precipitação mais intensa será entre o meio da manhã e o meio da tarde de hoje", indicou.

De acordo com Ângela Lourenço, durante o fim de semana, o cenário já é de regime de aguaceiros com alguma instabilidade.

"Estamos a prever chuva, ocorrência de trovoadas e não é de excluir a queda de granizo. Vamos ter também o regresso da neve, que hoje deverá ocorrer nos pontos mais altos da Serra da Estrela e depois, durante o fim de semana, a quota desce para valores da ordem dos 1.200/1.400 metros e deverá manter-se nesses valores", salientou.

Quanto ao vento, segundo a especialista, deverá ser essencialmente fraco a moderado, a predominar do quadrante oeste.

"Hoje, vamos ter uma descida da temperatura máxima da ordem dos três a sete graus em todo o território e as mínimas vão descer ligeiramente durante o fim de semana, mas não muito significativamente",sublinhou.

Ângela Lourenço adiantou que a ocorrência de aguaceiros e a possibilidade de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela vai fazer-se sentir ainda no início da semana.

"A tendência é para que a partir de terça-feira a situação melhore", concluiu.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado, períodos de chuva no litoral oeste, estendendo-se às restantes regiões e passando gradualmente a regime de aguaceiros a partir da tarde,e queda de neve nos pontos mais altos da serra da Estrela descendo gradualmente a cota para 1.00/1.00 metros a partir da tarde.

Está também previsto vento em geral fraco do quadrante sul, soprando temporariamente moderado no litoral oeste e nas terras altas, rodando gradualmente para o quadrante oeste a partir da tarde, neblina ou nevoeiro matinal, pequena subida da temperatura mínima e descida da máxima nas regiões do interior.

Para a Madeira, o IPMA estima céu em geral muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir da tarde, períodos de chuva ou aguaceiros, mais frequentes e intensos nas vertentes norte e nas terras altas, em especial durante a manhã, vento fraco a moderado do quadrante norte, pequena subida da temperatura mínima e descida da máxima.

Nos Açores prevê-se períodos de céu muito nublado com abertas e vento noroeste bonançoso, enfraquecendo.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 11 e 15 graus celsius, no Porto entre 07 e 13, em Vila Real entre 04 e 10, em Viseu entre 03 e 10, em Bragança entre 01 e 08, na Guarda entre 03 e 07, em Coimbra entre 08 e 13, em Castelo Branco entre 06 e 11, em Santarém entre 08 e 16, em Évora entre 05 e 16, em Beja entre 06 e 18, em Faro entre 10 e 17, no Funchal entre 17 e 21, em Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Santa Cruz das Flores entre 12 e 16.

Lusa

  • O tempo para hoje
    0:31

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado, períodos de chuva no litoral oeste, estendendo-se às restantes regiões e passando gradualmente a regime de aguaceiros a partir da tarde,e queda de neve nos pontos mais altos da serra da Estrela descendo gradualmente a cota para 1.00/1.00 metros a partir da tarde.

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".