sicnot

Perfil

País

Baixa e Chiado são as zonas mais procuradas pelos turistas de cruzeiro

A Baixa/Chiado, o Bairro Alto, Alfama e Belém foram as zonas de Lisboa mais visitadas no ano passado pelos turistas de cruzeiro, que preferem andar a pé ou de autocarro turístico quando estão na cidade.

Estas são as conclusões de um inquérito levado a cabo pelo Observatório de Turismo de Lisboa no qual participaram mil passageiros estrangeiros, de 47 navios, que fizeram escala na capital portuguesa entre junho e outubro de 2015.

Cerca de metade (50,8%) dos entrevistados é do Reino Unido, seguindo-se os turistas provenientes da Alemanha (15,1%) e da Itália (13,8%).

Quase 71% dos inquiridos nunca tinha vindo a Lisboa e a maioria (73,4%) recorreu a amigos e família para obter informações acerca da cidade.

O autocarro turístico foi o meio de transporte que mais utilizaram na cidade (54,8%), seguido dos passeios a pé (54,1%) e o táxi (48,9%).

Os autocarros regulares foram escolhidos apenas por 6,1% dos turistas, o metro por 4%, o comboio por 2,5% e o elétrico por 1,1%.

Cerca de 87% foram visitar a Baixa/Chiado, 84,8% o Bairro Alto e o Cais do Sodré, 82,2% visitou o eixo Alfama/Castelo/Mouraria, 81,4% a Mouraria e 39,4% o Parque das Nações.

Na região de Lisboa, as cidades mais visitadas, depois da capital, foram Cascais e Sintra com 28,1% e 13,7% desses turistas, respetivamente. A quarta cidade mais procurada foi Fátima, na região Centro (6,7%).

O que mais lhes agradou na cidade foi o clima (33,3%), a comida (17,4%), a beleza (13,9%), as pessoas (9%) e os pastéis de Belém (6,9%).

Sessenta por cento dos inquiridos admitiu que Lisboa superou as suas expectativas, enquanto 31% disse que foi de encontro ao que esperava.

Quase 43% dos turistas considerou "muito provável" um futuro regresso a Lisboa e 59,6% inclui a capital portuguesa no top 10 de destinos a visitar.

Lusa

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.