sicnot

Perfil

País

Pai acusado de matar bebé à facada em Oeiras diz não se recordar de cometer o crime

O homem acusado de esfaquear mortalmente o filho de seis meses em abril de 2015, em Oeiras, disse hoje em tribunal não se recordar de ter sido o autor do crime.

O homem, de 34 anos, está a ser julgado em Cascais por um tribunal do júri, requerido pela defesa, composto por quatro cidadãos previamente selecionados e outros quatro suplentes.

A acusação do Ministério Público (MP) sustenta que o arguido matou o filho, a 8 de abril de 2015, em retaliação contra a sua ex-companheira, mãe do bebé, a qual lhe teria dito que queria pôr fim à relação entre ambos, após descobrir que o suspeito mantinha o consumo de álcool.

Questionado pela juíza se foi ou não o autor do crime, o arguido disse que não se recorda, mas que não pode ter sido ele.

"Não consigo dizer se pratiquei (o crime), porque não me lembro. Se eu matei o meu filho, então eu sou um monstro, mas eu nunca faria mal a um filho meu. Mais depressa faria a mim do que a ele", sustentou.

O arguido disse ainda não se lembrar de muitos episódios que constam na acusação, incluindo as videochamadas à ex-companheira com ameaças de morte ao filho bebé e a sua detenção pela polícia.

Também na sessão de hoje foi ouvida a psicóloga que avaliou o arguido na prisão. A especialista referiu que o homem sofre de "perturbação psicótica".

De acordo com a responsável, a tragédia terá acontecido durante uma "psicose reativa" do arguido, que pode justificar o ato e perda de memória.

"À data dos factos, era um indivíduo doente psicologicamente e ainda é. Constatei cientificamente que ele não se lembra do que fez", afirmou a psicóloga, sublinhando ainda que "qualquer indivíduo com o estado psíquico semelhante ao dele não tem consciência daquilo que faz".

Para hoje estavam ainda previstas as alegações finais, mas acabaram por ser adiadas para o dia 11 de abril, às 15:00.

O arguido está em prisão preventiva ao abrigo deste processo no Estabelecimento Prisional de Lisboa, acusado de homicídio qualificado.

O homem responde ainda neste processo por explosão e incêndio, profanação de cadáver e homicídio, todos estes crimes na forma tentada, além de um crime de tráfico de droga.

Lusa

  • Pai assumiu autoria do homicídio do filho de seis meses
    2:07

    País

    É um crime que está a provocar indignação. Um homem matou o filho de seis meses à facada em Linda-a-Velha, concelho de Oeiras. Quando foi detido pela polícia ainda tinha sangue nas mãos. O pai do bebé assumiu a autoria do homicídio, vai ser hoje presente a tribunal e deverá conhecer as medidas de coacção esta tarde.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47