sicnot

Perfil

País

Pai acusado de matar bebé à facada em Oeiras diz não se recordar de cometer o crime

O homem acusado de esfaquear mortalmente o filho de seis meses em abril de 2015, em Oeiras, disse hoje em tribunal não se recordar de ter sido o autor do crime.

O homem, de 34 anos, está a ser julgado em Cascais por um tribunal do júri, requerido pela defesa, composto por quatro cidadãos previamente selecionados e outros quatro suplentes.

A acusação do Ministério Público (MP) sustenta que o arguido matou o filho, a 8 de abril de 2015, em retaliação contra a sua ex-companheira, mãe do bebé, a qual lhe teria dito que queria pôr fim à relação entre ambos, após descobrir que o suspeito mantinha o consumo de álcool.

Questionado pela juíza se foi ou não o autor do crime, o arguido disse que não se recorda, mas que não pode ter sido ele.

"Não consigo dizer se pratiquei (o crime), porque não me lembro. Se eu matei o meu filho, então eu sou um monstro, mas eu nunca faria mal a um filho meu. Mais depressa faria a mim do que a ele", sustentou.

O arguido disse ainda não se lembrar de muitos episódios que constam na acusação, incluindo as videochamadas à ex-companheira com ameaças de morte ao filho bebé e a sua detenção pela polícia.

Também na sessão de hoje foi ouvida a psicóloga que avaliou o arguido na prisão. A especialista referiu que o homem sofre de "perturbação psicótica".

De acordo com a responsável, a tragédia terá acontecido durante uma "psicose reativa" do arguido, que pode justificar o ato e perda de memória.

"À data dos factos, era um indivíduo doente psicologicamente e ainda é. Constatei cientificamente que ele não se lembra do que fez", afirmou a psicóloga, sublinhando ainda que "qualquer indivíduo com o estado psíquico semelhante ao dele não tem consciência daquilo que faz".

Para hoje estavam ainda previstas as alegações finais, mas acabaram por ser adiadas para o dia 11 de abril, às 15:00.

O arguido está em prisão preventiva ao abrigo deste processo no Estabelecimento Prisional de Lisboa, acusado de homicídio qualificado.

O homem responde ainda neste processo por explosão e incêndio, profanação de cadáver e homicídio, todos estes crimes na forma tentada, além de um crime de tráfico de droga.

Lusa

  • Pai assumiu autoria do homicídio do filho de seis meses
    2:07

    País

    É um crime que está a provocar indignação. Um homem matou o filho de seis meses à facada em Linda-a-Velha, concelho de Oeiras. Quando foi detido pela polícia ainda tinha sangue nas mãos. O pai do bebé assumiu a autoria do homicídio, vai ser hoje presente a tribunal e deverá conhecer as medidas de coacção esta tarde.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.