sicnot

Perfil

País

PS diz que demissão do ministro está à margem de questões políticas

PS diz que demissão do ministro está à margem de questões políticas

O presidente do PS recusa a ideia de que o Governo fique fragilizado com a saída de João Soares. Carlos César diz ainda que os socialistas respeitam a decisão quer de António Costa quer de João Soares.

  • João Soares pede demissão do cargo de ministro da Cultura

    País

    O ministro da Cultura apresentou hoje ao primeiro-ministro a demissão, invocando razões de solidariedade com o Governo. João Soares abandona o executivo na sequência do já chamado "caso das bofetadas", mas diz: "não aceito prescindir do direito à expressão da opinião e palavra".

  • "Bastava ter pedido desculpas ontem de manhã"
    4:11

    Ricardo Costa

    O pedido de demissão do ministro da Cultura era inevitável, considera Ricardo Costa, a menos que João Soares tivesse pedido de desculpa logo ontem de manhã, após a publicação do polémico post no Facebook. Contudo, diz o diretor de informação da SIC, Soares mostrou que "não tinha noção do disparate que tinha cometido". Quanto ao próximo ministro da Cultura, Ricardo Costa espera "que não seja alguém que escreva no Facebook às 7 da manhã".

  • "Sou um homem pacífico, nunca bati em ninguém"

    País

    O ministro da Cultura afirmou hoje que a mensagem que colocou no Facebook visando os colunistas Augusto M. Seabra e Vasco Pulido Valente foi reação a um "ataque pessoal insultuoso", mas pediu desculpa caso tenha ofendido alguém.

  • António Costa pede desculpa aos cronistas do Público
    1:17

    País

    O primeiro-ministro reagiu, esta noite, à polémica que envolve o ministro da Cultura. João Soares usou uma rede social para prometer bofetadas a dois conhecidos cronistas do Público, que o criticaram em artigos de opinião. Questionado pelos jornalistas se mantém a confiança no ministro, António Costa não quis responder, limitou-se a pedir desculpa aos dois cronistas e disse ainda que já recordou os membros do Governo que devem ser contidos na maneira como expressam as emoções em público.

  • Vasco Pulido Valente diz estar à espera das bofetadas de João Soares
    3:20

    País

    O ministro da Cultura usou, esta manhã, uma rede social para prometer bofetadas a dois conhecidos cronistas do Público, Augusto M. Seabra e Vasco Pulido Valente, que o criticaram em artigos de opinião. Augusto M. Seabra acusa João Soares de atentar contra a liberdade de expressão e Vasco Pulido Valente diz estar à espera das bofetadas.

  • PSD, CDS e BE condenam declarações de João Soares
    1:19

    País

    Esta manhã o ministro da Cultura prometeu, nas redes sociais, bofetadas a dois cronistas do Público: Augusto M. Seabra e Vasco Pulido Valente. O PSD diz que as palavras de João Soares são inqualificáveis, o CDS exige um pedido de desculpas e o Bloco de esquerda também condena as afirmações do ministro.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.