sicnot

Perfil

País

Ligação do metro de Lisboa à Linha de Sintra na Reboleira é inaugurada na quarta-feira

A nova estação da Reboleira da Linha Azul do Metropolitano de Lisboa, no concelho da Amadora, que vai permitir mais uma ligação à linha ferroviária de Sintra, vai ser inaugurada na quarta-feira, informou hoje a empresa transportadora.

"A partir do dia 13 de abril será possível viajar entre Reboleira e Marquês de Pombal, em 19 minutos e entre Reboleira e Baixa-Chiado, em 24 minutos", revelou a Transportes de Lisboa (TL), que integra a rodoviária Carris, o Metropolitano e a Transtejo.

A nova estação da Reboleira, que entra em funcionamento às 13:00, prolonga a Linha Azul da rede de metro numa extensão de 579 metros, criando um novo interface de transportes com os comboios da Linha de Sintra.

"Estima-se que, em velocidade cruzeiro, venham a utilizar esta nova estação cerca de sete milhões de passageiros/ano", lê-se no 'site' da empresa, prevendo que essa utilização permita "uma redução de cerca de 3.000 toneladas de CO2 produzido anualmente".

O Metropolitano tinha anunciado, em junho de 2015, "a abertura à exploração até ao final" do ano, após terem sido retomados os trabalhos do novo troço Amadora Este/Reboleira, mas a entrada em funcionamento da nova estação foi adiada por duas vezes, inicialmente para "o primeiro trimestre" de 2016, depois para o "início do segundo trimestre".

A abertura será agora concretizada a 13 de abril, muito depois de o estudo de impacte ambiental da obra, de 2007, ter previsto o início de exploração para agosto de 2010.

"Com a nova estação Reboleira é criado um novo interface multimodal que reforça o sistema de transportes da Área Metropolitana de Lisboa, reunindo metro, autocarros, comboio, táxis, ciclovia, e oferecendo, ainda, parqueamento de bicicletas e estacionamento automóvel", esclareceu a TL.

Segundo avançou a transportadora à agência Lusa, "o valor global do empreendimento é de cerca de 60 milhões de euros", contabilizando o investimento da primeira fase, superior a 45 milhões de euros, que também está abrangido por financiamento comunitário de 42,5 milhões do Fundo de Coesão, para despesas realizadas entre 2007 e 2015.

A primeira fase contemplou a construção do túnel, da estação e zona terminal da Reboleira, mas os trabalhos foram suspensos devido a problemas de financiamento.

A empreitada agora concluída, orçada em 8,795 milhões de euros, contemplou as especialidades "de construção civil, baixa-tensão, telecomunicações, via-férrea, eletromecânica e arranjos exteriores à superfície na zona adjacente à estação, na Rua das Indústrias e no Parque Armando Romão", explicou a TL.

A par das obras do metro, a Câmara da Amadora avançou com uma intervenção na Avenida D. Carlos I, para aumentar o estacionamento, reforçar a iluminação pública, criar zonas de estadia e fazer a ligação da pista de caminhada da Reboleira ao centro da cidade.

"Havendo este investimento da ligação do metro à ferrovia, também investimos para trazer mais segurança ao espaço público, para que as pessoas se sintam mais motivadas a usar o transporte público", salientou a presidente da autarquia, Carla Tavares (PS).

A intervenção, com "um investimento de cerca de 600 mil euros", teve como objetivo requalificar o espaço público entre o Bingo do Estrela da Amadora e a estação da Damaia, incluindo a valorização dos 600 lugares do parque de estacionamento da Infraestruturas de Portugal (ex-Refer) e uma centena de lugares junto ao interface da Reboleira.

As estações de Amadora Este, na Falagueira, e de Alfornelos foram inauguradas em maio de 2004, no âmbito do prolongamento do troço da Pontinha da Linha Azul que, com a ligação à linha ferroviária de Sintra, passa a ter uma extensão de 13,7 quilómetros, com 18 estações entre a Reboleira e Santa Apolónia (Lisboa).

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34
  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.