sicnot

Perfil

País

João Paulo Rebelo é o novo secretário de Estado da Juventude e do Desporto

Depois do novo ministro da Cultura, há mais uma mudança no Governo. O Presidente da República aceitou a proposta do primeiro-ministro para nomear João Paulo Rebelo como novo secretário de Estado da Juventude e do Desporto.

O novo secretário de Estado da Juventude e Desporto vai substituir no cargo João Wengorovius Meneses, que revelou entretanto que sai do Governo em desacordo com o ministro da Educação, em relação às políticas seguidas e ao modo de estar no exercício de cargos públicos.

"O Presidente da República aceitou a proposta do primeiro-ministro para nomear João Paulo Rebelo como secretário de Estado da Juventude e do Desporto", refere a Presidência da República na sua página na internet.

O novo secretário de Estado da Juventude e Desporto é deputado socialista, eleito pelo cículo de Viseu, faz parte da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas. É licenciado em gestão, função que teve até acupar o cargo de deputado.

João Paulo Rebelo também esteve na comissão da Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, segundo a página da Assembleia da República.

A posse terá lugar esta quinta-feira pelas 15:30, juntamente com o novo ministro da Cultura e embaixador e escritor Luís Filipe Castro Mendes e o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, que ocupava a presidência do Conselho de Administração do Teatro Nacional D. Maria II.

Última atualização às 6:53/Com Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15