sicnot

Perfil

País

Níveis de pólen cada vez mais elevados

A produção de pólenes em Portugal está a aumentar e as pessoas mais sensíveis começam a sentir os sintomas cada vez mais cedo, segundo um estudo nacional que avaliou as mudanças registadas nos últimos 12 anos.

(AP/Arquivo)

(AP/Arquivo)

Darko Vojinovic

As alterações climáticas estão a alterar o período de polinização e "começa a haver uma polinização mais cedo", revelou à Lusa, Carlos Nunes, coordenador da Rede de Aerobiologia da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), baseando-se nos resultados do estudo "Avaliação Aerobiológica durante 12 anos em Portugal".

Para sobreviverem e manterem as espécies, as plantas estão a alargar o período de polinização mas também a aumentar a quantidade de pólenes produzidos, o que faz com que as pessoas mais sensíveis sintam mais tempo os sintomas.

Resultado: "Uma pessoa suscetível em vez de ter sintomas no início ou meados de abril, começa a tê-los nos finais de março", exemplificou o especialista, sublinhando que "os sintomas começam a ser mais precoces e o período dos sintomas é ligeiramente mais extenso".

Segundo Carlos Nunes, determinadas espécies que polinizavam nos finais de março, começam agora "a polinizar uma semana ou dez dias antes. Começa a haver sinais de que começam a produzir mais (pólen) e cada vez mais cedo".

Esta mudança conta do estudo realizado pela SPAIC, que analisou as mudanças registadas no país nos últimos doze anos.

O estudo, que analisa apenas a situação em Portugal Continental será publicado este ano e, em 2017, deverá ser conhecido um outro estudo que tem em conta as regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

Lusa

  • 2,1%. As reações ao défice de 2016

    Economia

    O défice orçamental ficou mesmo nos 2,1% do PIB. Os partidos já reagiram àquele que é o valor mais baixo em democracia.

  • Comboios Alfa vão ter bancos com tomadas elétricas e wi-fi
    2:06
  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Nus e acorrentados em frente a Auschwitz

    Mundo

    Catorze pessoas com idades entre os 20 e os 27 anos despiram-se e acorrentaram-se em frente ao portão de Auschwitz, antigo campo de concetração nazi na Polónia, depois de terem degolado um carneiro. Ninguém sabe ainda porquê.

  • A coleção de gerigonças de Ana Catarina Mendes
    1:51
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33
  • Viaduto de Alcântara condicionado
    1:36

    País

    O viaduto de Alcântara, em Lisboa, continua com o trânsito condicionado mas apenas sobre o tabuleiro e no sentido Alcântara Terra - Alcântara Mar. A circulação só será reposta depois de uma nova vistoria, ainda sem data marcada.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07